Coletiva apresenta tema do “Dia dos Excluídos”

0

Coletiva na Cúria Metropolitana
Foi realizada na manhã desta quinta-feira, 30, na Cúria Metropolitana, uma coletiva para a apresentação da programação do Dia dos Excluídos. O evento será realizado no dia 6 de setembro com um ato público na praça General Valadão, às 9h, com a peresença dos movimentos sociais e sindicatos. Estiveram presentes o arcebispo Dom Palmeira Lessa, pastorais sociais, MST, CUT e movimentos sociais.

Em sua 13º edição, o Grito dos Excluídos, se foca, em uma manifestação popular, nas denúncias às situações de exclusão social com reivindicações de melhorias e agrupando questões como terra, moradia e direitos sociais. Nas duas últimas edições, o Grito veio a criticar a Alça/Livre Comércio e não o pagamento da Dívida Externa. Neste ano a campanha centra-se na privatização da companhia de exploração de minérios Vale do Rio Doce, com o título “Isto não Vale!”.

Dom Palmeira Lessa
Na visão do arcebispo Dom Palmeira Lessa este dia dá ao povo oportunidade de “apresentar-se”. “A participação é de todos. Tanto dos movimentos, quanto do povo. E são eles o principal agente de força para as reivindicações”, diz.

De acordo com o presidente da CUT, Antonio Góis, a exemplo de outros anos, a central está integrada para manifestar e cobrar as mudanças necessárias quanto ao combate a exclusão social. O Dia dos Excluídos coincide com a semana que será realizado um plebiscito, de âmbito nacional, realizado pela CUT, que se estenderá entre os dias 1º e 9 de setembro. A idéia surge para levar ao povo o debate sobre questões do âmbito político-nacional com a explanação sobre questões que vão desde a privatização da Vale do Rio Doce até a transposição das águas do rio São Francisco.

Comentários