Comerciante do Bairro Industrial não quer deixar estabelecimento

0

Pêu diz que não vai sair do local que é o seu “ganha pão”
Um comerciante do Bairro Industrial procurou o Portal Infonet, pois anda preocupado com o futuro do seu estabelecimento localizado na cabeceira da Ponte Aracaju-Barra. Miguel Angelo Rodrigues, conhecido como ‘Pêu’, possui uma lanchonete há 18 anos no local e disse que na última semana recebeu uma intimação da Emsurb solicitando sua saída para dar prosseguimento às obras que estão em andamento.

“Só tenho isso. Não vou sair daqui sem a garantia de outro local para ficar”, afirma Pêu. Ele conta que não foi procurado por nenhum órgão para receber indenização nem para propor outro local que ele possa ficar. Na cabeceira da ponte está sendo executada, através do DER e da secretaria de Infra-Estrutura do Estado, uma obra de construção de uma praça e implantação de equipamento de lazer.

Comerciante terá que deixar o local para dar continuidade às obras
O estabelecimento de Pêu ficava em anexo ao terminal do Bairro Industrial, local que dará lugar à praça. Mesmo com a desativação do terminal ele não abandonou o espaço. “Desde a desativação não tive nenhuma posição e agora com as obras querem que eu saia daqui. No mínimo eles tem que arranjar outro local para eu ficar. Quero uma saída lógica, não posso ficar desamparado”, declara.

A Emsurb deu um prazo de oito dias, que venceu ontem, para ele sair do local. De acordo com a assessoria de comunicação do órgão, ele não poderá permanecer no espaço e aconselha que procure o DER para viabilizar um espaço dentro do projeto da obra. Ou ainda, ele deverá procurar a Emsurb para liberar um espaço no local que ele desejar.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais