Comerciário é atropelado e morto na avenida Tancredo

0
Atropelamento deixa trânsito lento (Foto: Portal Iinfonet)

O comerciário, identificado como Ítalo Tavares Oliveira, 28, foi atropelado e morreu no local do acidente, ocorrido por volta das 5h30 desta quarta-feira, 19, na avenida Tancredo Neves, em trecho próximo ao viaduto Manoel Celestino Chagas, cujo complexo ficou conhecido como viaduto do Detran, em Aracaju.

A vítima tentava atravessar a pista correndo, mas acabou “colhida” por uma Van, de placa IAP 4009, licença de Aracaju, da Poxim Tour, que transportava trabalhadores para o campo de Carmópolis. A identidade do condutor do veículo não foi revelada pelos agentes de trânsito. Ele permaneceu no local do acidente, amparado pelos passageiros e por representantes da empresa.

Os passageiros da Van não quiseram prestar declarações. “Eu estava sonolento”, ressaltou um dos passageiros, que preferiu o anonimato. O acidente deixou o trânsito lento e agentes da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Aracaju (SMTT) e da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran) controlaram o tráfego, adotando os primeiros procedimentos para identificar a causa do acidente, que será investigado pela polícia civil.

Riscos

Van envolvida no acidente

O acidente chamou a atenção dos moradores dos núcleos habitacionais instalados nas proximidades e das pessoas que transitavam nas imediações. Os pedestres e trabalhadores que utilizam bicicletas como meio de transporte demonstram preocupação com a falta de sinalização e faixas para pedestres naquele trecho, apesar de existir uma passarela a poucos metros de distância do local onde aconteceu o atropelamento.

“Aqui ainda vai morrer muita gente, a SMTT precisa fazer alguma coisa. Tem faixa lá embaixo, mas aqui não tem nada e ninguém respeita ninguém”, desabafou o eletricista Edmilson Nascimento. Na ótica do pedreiro Otacílio Santos, é necessário instalar uma série de redutores de velocidade fixos.

“Eles [os condutores] passam em alta velocidade e ninguém respeita faixa de pedestre. Tem que colocar mesmo é quebra-mola”, ressalta o pedreiro.

Tênis usados pela vítima ficam no local onde aconteceu o atropelamento

O supervisor geral de trânsito da SMTT de Aracaju, Aroldo Cardoso, respeita as reclamações, mas alerta para a existência da passarela existente bem próximo. “Temos uma passarela a 100 metros, mas há também o desrespeito à velocidade”, considerou o supervisor.

*A matéria foi alterada às 9h25 para acrescentar informações sobre a profissão da vítima. No local do acidente, a informação é que a vítima seria gari que trabalhava para a empresa de limpeza pública que presta serviços à Prefeitura de Aracaju, mas familiares informaram que ele estava trabalhando, atualmente, em uma farmácia

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais