Comissão de Direitos Humanos da OAB/SE assina portaria

0
Comissão de Direitos Humanos assinou portaria referente à atuação do triênio 2013/2015 (Foto: Ascom OAB/SE)

Na tarde desta sexta-feira, 22, a Comissão de Direitos Humanos da Ordem de Advogados do Brasil – Seccional Sergipe assinou a portaria referente à atuação do triênio 2013/2015. O presidente Carlos Augusto Monteiro Nascimento parabenizou o bom trabalho desenvolvido pela Comissão no triênio anterior, desejou boas-vindas aos novos membros e sucesso no desempenho das atividades.

“O gabinete da OAB/SE está aberto para vocês quando precisarem. O trabalho é intenso, mas com empenho teremos sucesso,” afirmou Carlos Augusto.

Para a nova presidente da CDH, Rosenice Figueiredo Machado, a CDH obteve sucesso na última gestão devido ao trabalho desenvolvido e o apoio da presidência depositada na CDH. “Este ano teremos muito trabalho e, apesar de não sermos recompensados financeiramente, ganhamos duas coisas fundamentais: orgulho da profissão, pois nos encantamos com a advocacia. Além da gratidão das pessoas simples que ajudamos, é algo muito bom”, ilustrou. Segundo Rosenice, os antigos e novos membros devem se preparar para o trabalho. “Sejam bem-vindos e tomem fôlego, porque temos muito trabalho!”, enfatizou.

A responsável pela Coordenadoria da Infância e da Juventude, Aryadne Bohrer, contou que a coordenadoria recebe novos membros nesta gestão e com isso acredita que irão conseguir alavancar as atividades na área. “Daremos muita ênfase nas dificuldades encontradas pelos advogados que atuam na área da infância, tanto nos setores voltados à proteção e guarda de criança e adolescentes, quanto aqueles voltados ao adolescente em medida sócio-educativa”, explanou.

O vice-presidente e responsável pela Coordenadoria de Atividades Policiais e Políticas Penitenciárias, José Dantas de Santana, explicou que a CDH espera mais atuação e empenho dos membros, na busca por garantir proteção aos direitos humanos. “Lutamos pelo respeito ao cidadão, à pessoa humana, respeito pela dignidade da pessoa humana. É isso que a CDH busca garantir”, pontuou.

De acordo com Maria Angélica Rezende Silveira, responsável pela Coordenadoria de Saúde Pública, nesta gestão, a atuação da coordenadoria estará voltada para o interior. “Nossas atividades no primeiro semestre estarão voltadas para verificar a situação dos hospitais no interior. Porque o que vemos na saúde na capital é reflexo de um mau atendimento no interior. Então estaremos ajudando, dando informações, sugestões que melhorem a realidade da saúde pública. Além de estarmos preparando um seminário voltado para assuntos atualizados na saúde”, antecipou.

Fonte: OAB/SE

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais