Conselheiro tutelar denuncia motorista por agressão

0
Documentos espalhados e ventilador quebrado (Foto enviada pelo conselheiro tutelar)

O conselheiro tutelar Douglas Santana, do município de São Cristovão, prestou boletim de ocorrência na Delegacia da Polícia Civil do município contra um motorista que presta serviços à Prefeitura Municipal. Segundo revelou, o motorista o agrediu fisicamente e ainda quebrou objetos na sede do Conselho Tutelar, além de espalhar pelo chão documentos sigilosos relativos a processos que envolvem casos de violência contra crianças e adolescentes ocorridos no município.

Este ato, segundo o conselheiro, aconteceu na manhã desta sexta-feira na sede do Conselho Tutelar do Município, depois que ele decidiu denunciar o comportamento do motorista a gestores da prefeitura. Segundo Douglas, há alguns meses houve ameaças de agressão. “Eu falei com uma secretária do município e ele parou, mas ontem [quinta-feira, 24], ele tentou me atropelar com o carro da prefeitura e hoje eu procurei o chefe de transportes e denunciei, acho que o chefe de transportes chamou a atenção dele e ele [o motorista] não gostou”, comentou o conselheiro.

O motorista teria chegado transtornado à sede do Conselho Tutelar por volta das 9h da manhã desta sexta-feira, 25, segundo Douglas Santana. “Ele surtou e já chegou derrubando as coisas, quebrou um ventilador e espalhou vários documentos importantes e sigilosos”, contou o conselheiro à reportagem do Portal Infonet. “Já denunciei em boletim de ocorrência e também na prefeitura”, destacou o conselheiro.

Em nota enviada à redação, a assessoria de imprensa da Prefeitura de São Cristovão confirmou que as agressões foram denunciadas à secretária Fernanda Rodrigues, de Assistência Social e do Trabalho do município. A assessoria explica que a secretária também tomou conhecimento do registro da ocorrência na Polícia Civil e que os boletins de ocorrências teriam sido feitos pelo conselheiro e também pelo acusado das agressões e que a prefeitura aguardará os desdobramentos das investigações que deverão ocorrer no âmbito da Polícia Civil para decidir os encaminhamentos.

As decisões do município a respeito da questão, segundo a assessoria, serão tomadas em consonância com a Procuradoria Geral do Município.

Por Cássia Santana

Comentários