Conselhos Tutelares debatem o combate à violência sexual

0

Caminhada reuniu conselheiros tutelares e população (Fotos: Portal Infonet)

Alexandre Santiago: fiscalização para cumprimento dos direitos

Denise Cardoso: conselheiro deve tirar o foco do abuso

Durante as celebrações alusivas ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, os Conselhos Tutelares de Aracaju fortaleceram o debate e o enfrentamento ao crime. Na programação do 18 de Maio, os conselheiros fizeram um balanço sobre a importância da entidade no atendimento às denúncias e as condições enfrentadas no desempenho do ofício.

Segundo Alexandre Santiago, conselheiro do 2º distrito, a violência sexual é a mais grave entre todos os tipos de violência. “Ela envolve tanto violência física quanto emocional e psicológica, por isso é a que deixa as marcas mais profundas. No combate ao abuso sexual, os Conselhos Tutelares são de fundamental importância por que zelam pelo cumprimento dos direitos e mediam o contato com o poder público”, diz.

Alexandre destaca as dificuldades na atividade de conselheiro. “Muitas pessoas confundem o papel do Conselho, achando que é de nossa responsabilidade resolver todos os casos de abuso. Na verdade, o poder público e as próprias famílias devem garantir os direitos da criança e do adolescente. O que nós fazemos é fiscalizar esse processo segundo o ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente]”, relata.

Para Denise Cardoso, do Conselho Tutelar do 3º distrito, o principal foco do conselheiro deve ser a assistência psicológica à vítima. “Nosso intuito é fazer com que a criança ou adolescente abusado saia do foco no abuso. A vítima tem que se sentir segura, acompanhada, para que o abuso não se torne um trauma e o abusado consiga prosseguir sua vida”, afirma.

Caminhada

Na tarde desta terça-feira, 14, o Conselho Tutelar do 2º distrito promoveu uma caminhada contra o abuso e a exploração sexual nas ruas do bairro América. A caminhada envolveu conselheiros tutelares, representantes de entidades e alunos da rede pública de ensino.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais