Contas de campanha de Déda devem ser apreciadas

0

Augusto Bezerra, deputado estadual, e Vinícius Porto, vereador de Aracaju, lançaram suspeitas sobre a campanha de Marcelo Déda para a Prefeitura Municipal, em 2004. De acordo com Bezerra, o produtor de uma banda local procurou parlamentares e redes de comunicação para denunciar que não havia recebido o pagamento por shows realizados nos comícios do atual prefeito. A responsabilidade seria do comitê central.

 

Porém, o que chamou a atenção dos parlamentares foi que estes shows foram realizados em cidades do interior e pagos pelo comitê. Segundo Augusto, isso é ilegal, uma vez que Déda estava se candidatando para a Prefeitura de Aracaju e seu campo de atuação eleitoral deveria se manter circunscrito à capital.

 

“Se esta banda tivesse sido contratada pelo diretório estadual do PT, não estaria aqui. Mas a banda, veja a gravidade, foi contratada e determinada a tocar no interior do Estado, em Porto da Folha, Umbaúba, Poço Redondo etc, pelo comitê central”, disse o deputado a uma rádio local.

 

Augusto disse que solicitou do TRE o documento de prestação de contas da última campanha do prefeito e agora, quer apurar os fatos a partir do mecanismo que se mostrar mais adequado, arriscando, até mesmo, propor abertura de CPI. “A contratação foi irregular. Houve um favor: Déda fez favor e mandou um show pra o interior. Ele pode fazer do bolso dele, mas não com o dinheiro do Comitê central”, explicou Augusto Bezerra.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais