Cope apresenta integrantes de quadrilha de roubo cargas

0
Dois dos integrantes da quadrilha apresentados no Cope (Fotos: Portal Infonet)

O delegado Hildemar Rios detalhou na manhã desta sexta-feira, 8 os resultados da  “Operação Falso Corsário” realizada pelo Centro de Operações Policiais Especiais (COPE). Na operação, foi presa uma quadrilha  que roubou mais de R$ 5 milhões em cargas e caminhões que vinha agindo em vários  estados a exemplo de Sergipe, Bahia, Goiás e Minas Gerais.
De acordo com o delegado Hildemar Rios, os trabalhos foram realizados simultaneamente em Sergipe [por meio do Centro de Operações Policiais Especiais -COPE e na Bahia [com a Superintendência de Inteligência da SSP/BA].

“As investigações foram iniciadas em maio de 2014 após a ocorrência de alguns roubos em rodovias  que cortam o território sergipano. Os integrantes  roubavam cargas com diferentes tipos de produtos, como ferro, cimento e cerveja, além de subtrair caminhões e carretas, as quais, após serem adulteradas, eram vendidas para outros estados ou passavam a ser utilizadas pelos integrantes da associação criminosa em outras ações”, ressalta.

Quadrilha usava giroflex nas abordagens

Ele contou que durante as ações, os integrantes da quadrilha se passavam por policiais civis e /ou federais e sempre portavam armas de fogo e utilizavam giroflex nos automóveis usados nas abordagens.

“Quando eles rendiam os motoristas e se apossavam dos caminhões, uma parte mantinha a vítima como refém em algum matagal, enquanto os outros desengatavam as carretas dos caminhões e atrelavam em outro veículo usado pela quadrilha, no qual fugiam, apropriando-se das cargas e das carretas. Geralmente os motoristas eram mantidos como reféns, até que as cargas chegassem em outro estado e até mesmo fosse entregue aos receptadores”, relata Hildemar Rios acrescentando que as pessoas que adquiriram as cargas roubadas serão investigadas.

Entenda

Uma das carretas apreendidas

Em maio, foram presos pela Polícia Rodoviária Federal no município de Itaporanga D’Ajuda, os paulistas Alexandre Alves de Oliveira [Duda], que se identificou com o nome falso de Genival Francisco da Silva e Adriano Costa de Souza [Cupim], integrantes da quadrilha. Eles foram flagrados num caminhão Volvo FH cor prata, após terem abordado um motorista e tentarem roubar uma carga de cerveja na BR 101. Com eles foram encontradas várias placas de veículos, bloqueadores de sinal de rastreadores veiculares, giroflex, dentre outros objetos.

Na última sexta-feira, 1º foram presos o paranaense Haroldo José Amaral, 48, capturado na cidade de Lauro de Freitas (BA) e o sergipano Arnaldo Alves da Silva Júnior, 34, que estava em Salvador (BA). Com eles, outro bloqueador de sinal de rastreador, notas fiscais de cargas roubadas pela quadrilha e chaves de veículos roubados pelo grupo.

Delegado Hildemário Rios

“A organização criminosa atuava em várias rodovias do país e além de Sergipe, cometeram crimes na Bahia, Goiás e Minas Gerais, onde roubavam todo tipo de produtos, desde bebidas, cimento, ferragens de construção, tintas, implementos rodoviários, máquinas e equipamentos, ou seja, produtos que os rastreadores não alcançam. Boa parte desses produtos era vendida na Bahia e em Sergipe, por preços inferiores aos praticados no mercado e sem que fossem tributados, ocasionando prejuízos aos proprietários das cargas, às seguradoras e ao erário dos Estados”, enfatiza Hildemário Rios.

Os integrantes da quadrilha costumavam guardar cargas, caminhões e carretas roubadas, assim como realizar os encontros para planejar as ações e realizar a divisão do produto dos roubos, em alguns imóveis [maioria galpões], localizados em Aracaju.

Continua foragido, o investigado Marco de Jesus Marinho [Marco Careca]. Todos os presos respondem a processos pela prática de crimes de homicídio, roubo de cargas, formação de quadrilha, porte ilegal de arma de fogo e estelionato.

Apreensões

No dia da operação foram apreendidos alguns veículos roubados, dentrs eles, uma carreta bitrem roubada em Minas Gerais e localizada num galpão em Aracaju e uma caminhonete roubada e localizada em Salvador, além de outros veículos adulterados, encontrados em galpões. Foram recuperadas algumas cargas e caminhões roubadosm a exemplo de duas carretas, um caminhão, uma carga de tubos de ferro e uma usina de asfalto roubados no estado de Goiás e apreendidos na cidade de Esplanada (BA) e apreendida em Cristinápolis.

“Nas investigações, os policiais do COPE identificaram que o caminhão Volvo FH 540 de cor prata que a quadrilha usava para transportar as cargas roubadas tinha sido roubado em outubro de 2013 na BR-10, próximo à entrada de Siriri (SE). Os valores das cargas roubadas se aproximam dos 5 milhões de reais”, enfatiza.

Por Aldaci de Souza

Comentários