Cope identifica acusados de passar trotes para Samu e Bombeiros

0

“Tem um incêndio aqui em uma casa na avenida Elicio da Mota. Está queimando tudo”. Esta solicitação foi uma das dezenas de chamadas realizadas para o Corpo de Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) pelo lavrador Ivan Batista Nascimento, 29 anos, e pelo comerciante Deiojones Santana, 24, ambos residentes no município de Nossa Senhora da Glória, distante 126 km de Aracaju. O perfil dos autores surpreendeu a Polícia Civil, pois foge do perfil habitual de pessoas que passam trotes para o sistema de emergência, formada em sua maioria por crianças e adolescentes.

De acordo com informações do diretor do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), delegado Tiago Leandro Oliveira, os dois infratores foram detidos após uma investigação que tinha como objetivo apurar os prejuízos causados ao serviço público por pessoas que insistem em ocupar as linhas de emergência com informações falsas. “Os prejuízos provocados à população são imensos: vão desde a remoção de uma viatura a um local inexistente, a ocupação por longos períodos da linha, o gasto com gasolina, além da retirada do serviço de uma equipe que poderia estar atendendo uma ocorrência verdadeira”, explicou.

Após alguns dias, os policiais chegaram a dois números de telefones celulares oriundos da cidade de Glória. Nesta segunda-feira, 15, uma equipe do Cope foi até o município e conseguiu prender Ivan e Deiojones. Para surpresa geral, Ivan foi candidato a vereador nas eleições de 2006.

Os dois vão responder o processo em liberdade pelo crime de comunicação falsa, constante no artigo 340 do Código Penal. Há também a possibilidade deles serem indiciados pelo artigo 266, relativo a ‘interromper ou perturbar serviço telegráfico, radiotelegráfico ou telefônico, impedir ou dificultar-lhe o restabelecimento’. Nesse caso, a pena é de detenção de um a três meses, e multa.

Identificação

Graças à tecnologia do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), as autoridades de segurança pública do Estado já podem para identificar os infratores e puni-los como manda a legislação. Ao acionar o Ciosp, o sistema armazena o número discado, informa o horário e a frequência das ligações. A partir dessas informações, a polícia traça um plano de trabalho e aguarda o melhor momento para prender o infrator. Se o autor for menor de idade, os pais são penalizados.

A prisão de Ivan e Deiojenes representa apenas uma mostra de um grande universo de pessoas que passam trotes. Para se ter uma idéia do problema, entre 2 de abril e 5 de maio deste ano, o Ciosp recebeu 110.511 chamadas, no entanto, 58% das ligações, eram trotes (35.159), ligações indefinidas (quando o operador não identifica se é trote ou pedido de informação – 58.619), pedido de informações (16.653) e agradecimentos (80).

Fonte: ASN

Comentários