Corpo fica quase 30h aguardando resgate

0

Corpo do homem fica quase 30 horas dentro do barraco(Foto:Portal Infonet)

O corpo de um homem identificado como João Rodrigues de Jesus, 43 anos, ficou por mais de 24 horas dentro de um barraco, em São Cristóvão, aguardando resgate. Na manhã deste sábado, 4, o líder comunitário Michel dos Santos Cruz esteve na Delegacia Plantonista, em Aracaju, para prestar um boletim de ocorrência contra o Instituto Médico Legal (IML) por não ter resgatado o corpo na manhã da última sexta-feira, 3, por volta das 5h, quando João veio à óbito.

“Ele morreu dentro de casa, sozinho, então liguei para a criminalística. Como não tinha sido crime, eles disseram que não iriam até lá e mandaram o IML”, relata Michel.
Ainda de acordo com o líder comunitário, os funcionários do IML chegaram ao local e retornaram sem recolher o corpo. “Eles disseram que não resgatavam o corpo porque era morte natural e também não tinha um documento com foto. Daí foram embora e deixaram o corpo lá no chão do barraco”, explica.

Michel diz que IML deixou o corpo no local(Foto: Portal Infonet)
Só depois de prestar um boletim de ocorrência, Michel informou que o delegado entrou em contato com a Maternidade Hildete Falcão e conseguiu a liberação para o resgate do corpo para realizar o sepultamento. “Estávamos com tudo pronto, conseguimos o caixão e a cova já tava pronta, faltava mesmo esse atestado e alguém da família. Agora quase trinta horas depois da morte vamos consegui enterrar, já que tem uma nora dele aqui”, disse, ainda na delegacia.

Povoado Cajueiro

A equipe do Portal Infonet esteve no povoado Cajueiro, local da morte, e constatou que o corpo permanecia dentro do barraco. Os vizinhos já reclamavam do odor. “Ele já tava meio doente porque bebia muito e quando foi umas cinco da manhã, vi que ele estava morto, duro. Só que agora já ta com um cheiro ruim e ninguém aparece para pegar”, relata Edson de Souza, amigo da vítima.

Edson morava com a vítima dentro do barraco, onde o corpo está caído(Foto:Portal Infonet)
Os vizinho informaram ainda que João Rodrigues tinha um filho e mais quatro irmãos, mas ninguém se prontificou para resolver o problema do resgate. “Ele não tinha documento, então tinha que ter alguém da família para resolver o problema, só que nenhum dos parentes quiseram comparecer”, lastima Edson.

Resgate

Às 10h30 da manhã deste sábado, no entanto, um carro da funerária esteve no local e resgatou o cadáver. Segundo Michel dos Santos, o corpo está sendo levado para o povoado Cardoso, onde será sepultado.

O Instituto Médico Legal confirmou que o corpo do homem não pode ser removido pela equipe porque a morte foi natural e, para tanto, é nescessário um laudo médico. Ainda segundo informações, em casos como esse a família deve procurar o serviço de óbito da Hildete Falcão.

Por Alcione Martins e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais