Correios realiza mutirão para amenizar efeitos da greve

0
Greve pode continuar caso não haja acordo em audiência do TST (Foto: Arquivo / Portal Infonet)

A greve dos funcionários dos Correios completou 30 dias nesta sexta-feira, 7, sem registro algum de avanço nas negociações. Por conta do impasse, a direção da empresa realizará um mutirão neste fim de semana, 8 e 9, para amenizar os problemas gerados pela greve.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sinditect), Sérgio Lima, a greve pode continuar caso não haja acordo entre a empresa pública e os empregados durante sessão de dissídio coletivo no Tribunal Superior do Trabalho, marcada para a próxima semana. Sérgio Lima destaca que a sessão está agendada para o dia 13 de março, data na qual serão discutidas a abusividade ou não da greve, além da quebra do acórdão por parte dos Correios.

Sobre os impasses causados pela greve, como o atraso de correspondências, Sérgio Lima alega que o problema sempre existiu nos Correios. “É claro que com a diminuição dos trabalhadores, alguns serviços são comprometidos, porém, o atraso de correspondências é um problema que sempre ocorreu”, disse.

Sérgio Lima explica ainda que o atraso se dá pelo fato de que há ainda um déficit de trabalhadores nos Correios. “Em 2006, tinha 960 trabalhadores nos Correios, e agora, em 2014, não tem nem mil funcionários. O estado cresce, o número de casas cresce e o efetivo de trabalhadores não acompanha”, coloca.

Correios

Segundo a assessoria dos Correios em Sergipe, cerca de 90% dos empregados dos Correios no estado estão trabalhando, mas ainda assim, a greve vem causando danos à população.

“A greve vem trazendo pequenos prejuízos e a falta de qualquer empregado afeta o trabalho dos Correios. Contudo, iremos realizar um mutirão neste fim de semana, no sábado e no domingo, para minimizar o atraso das correspondências”, finaliza o assessor josé Ginaldo.

Por Geilson Gomes e Verlane Estácio

Comentários