Correios recorrem ao TST contra greve

0

Foto: Arquivo Portal Infonet
Os Correios decidiram recorrer ao Tribunal Superior do Trabalho após receberem o comunicado de que 27 dos 35 sindicatos representativos dos empregados rejeitaram a proposta de reajuste imediato de 9% e um aumento linear de R$ 100,00, a partir de janeiro de 2010. O acordo valeria por dois anos, com o compromisso de não haver desconto dos dias parados se os empregados retornassem ao trabalho esta sexta, 18.

A proposta da empresa, elaborada em conjunto com o comando de negociação dos trabalhadores, significaria um aumento salarial entre 24,43% e 19,79% para a maioria do efetivo, principalmente carteiros, atendentes, operadores de transbordo, etc. 

Neste terceiro dia de greve, 31% dos empregados não comparecerem ao trabalho, comprometendo o prazo de entrega dos objetos postais. Os Correios distribuem diariamente 33 milhões de correspondências e 770 mil encomendas. Com a greve, cerca de 20 milhões de correspondências e 243 mil encomendas deverão ser entregues com atraso.

Nos Estados em greve, os Correios colocaram em ação um Plano de Contingência com o objetivo de garantir o funcionamento mínimo das atividades essenciais da empresa, a fim de diminuir o impacto da paralisação junto à população. Os dias parados serão descontados dos grevistas já na folha de pagamento de setembro.

Fonte: Correios/SE

Comentários