CPI dos Parquímetros vai para a pauta de votação

0

Vinícius Porto acredita que a CPI vai ser aprovada
Finalmente a Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) dos Parquímetros vai ser votada. O requerimento apresentado pelo vereador Fábio Henrique (PDT) faz parte da pauta de votação de hoje da casa legislativa, que começou a ser apreciada pelo Plenário às 11 horas. A expectativa é grande. A oposição à administração municipal acredita que o requerimento será aprovado. Contudo, o líder do prefeito, Emanuel Nascimento, já se posicionou contra a aprovação da CPI.

Segundo o ele, “esta CPI que desejam formar é totalmente desnecessária”. Nascimento acredita que todas as medidas que já foram tomadas, tais como o Decreto Legislativo – aprovado pela Câmara, em 2002, para suspender o contrato, ação malograda devido a decisão da Justiça que deu ganho de causa a administração municipal, que na época tinha em seu comando o ex-prefeito Augusto Gama – e a ação popular, impetrada em agosto de 2000, por João Fontes e Renato Sampaio que tramita até hoje no Tribunal de Justiça.

Emanuel Nascimento: CPI é desnecessária
O líder do prefeito na casa legislativa lembrou ainda da denúncia, formulada pela própria Câmara, e apresentada ao Ministério Público pedindo a apuração das possíveis irregularidades. “O que estou pedindo é apenas o bom senso de todos. Toda documentação necessária já está nesta Casa, mostrando mais uma vez que o Poder Executivo tem o objetivo de contribuir e não esconder nada”, declarou Nascimento.

Contudo, os argumentos do petista não foram suficientes para convencer todos os seus colegas de plenário. Ao todo, 10 vereadores assinaram o requerimento solicitando a formação da CPI. Dentre eles está o líder da oposição, Vinícius Porto. O pefelista está otimista quanto à aprovação da Comissão. “Esperamos que o pedido seja aprovado porque o povo de Aracaju quer que seja. Eu já recebi telefonemas de várias lideranças de bairro e de eleitores cobrando que a Câmara aprove a CPI dos Parquímetros”, disse.

Para Porto, é preciso que o contrato entre a Varca Scatena e a prefeitura de Aracaju, firmado ainda na administração de Gama seja analisado a fundo. “É preciso estudar bem os termos em que esse contrato foi firmado. E com a instalação da CPI, isso vai ser possível. Teremos várias reuniões e 180 dias para nos debruçarmos sobre os documentos e verificarmos se existe irregularidades e propor modificações”, acrescentou o pefelista que acredita que na teoria os parquímetros são excelentes mas que na prática não estão funcionando a contento. 

Iran Barbosa: contrato precisa ser esmiuçado
Quem também não foi convencido pelos pontos levantados por Emanuel Nascimento foi o vereador da bancada governista, Iran Barbosa (PT). O parlamentar, que também assinou o requerimento solicitando a abertura da CPI, disse que quanto mais aprofunda seus estudos sobre o contrato dos parquímetros, mas tem certeza de que existem algumas coisas que precisam ser melhores esclarecidas. “Nós devemos buscar as informações e esclarecimentos e repassar à população. Verificar o que está errado é o nosso papel. É atribuição da Câmara averiguar, apurar e fiscalizar”, declarou o petista.

O único receio de Barbosa é de que se esteja canalizando muito esforço para uma coisa já previsível. “Me preocupo com o fato de toda a energia que está sendo depositada nesse esforço de se instalar a CPI vá resultar em algo que já existe: numa ação judicial. Mas ainda sim é preciso que se apure melhor essa questão dos parquímetros”, explica.

No mais, o vereador se diz tranqüilo com a posição de votar a favor do requerimento. “Coloco minha posição com toda tranqüilidade. A bancada já conhece o meu posicionamento há muito tempo. A administração municipal também. Eu não tenho nada a esconder como sei que a Prefeitura também não tem”, finalizou o vereador.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais