Crescimento da ‘Favelinha’ preocupa moradores do Augusto Franco

0

A onda de assaltos no conjunto Augusto Franco tem preocupado os moradores daquele conjunto. Muitos deles atribuem o aumento da violência na localidade ao crescimento da ocupação ‘Recanto do Manguezal’, mais conhecida como ‘Favelinha’.

Uma moradora, que não quis ser identificada, conta que quando vai para a escola não leva celular, relógio, dinheiro, nem nenhum pertence de valor com medo de ser roubada. “Todo mundo sabe que são daí, mas todo mundo tem medo de denunciar porque eles ameaçam as vítimas”, conta.

A jovem revela que todo dia tem carro de polícia dentro da ocupação. “Sempre que roubam carros e motos eles escondem lá dentro. Além disso, é grande o comércio de celulares roubados”.

Um morador e comerciante do conjunto foi vítima de um assalto em que levaram seu celular, dias depois ele identificou seu aparelho na mão de um jovem que tinha comprado a R$ 12. “Eles roubam esses celulares que valem R$150 ou R$ 200 e vendem a R$ 10, é uma prática comum”.

Ele conta que já houve até uma movimentação para fazer um abaixo-assinado para pedir aos órgãos públicos providências quanto à invasão. “Sabemos que tem muita gente necessitada, mas muita gente que não vale nada se infiltra lá dentro para fazer maldades”.

Mesmo quem nunca foi vítima, como a moradora Cristina Nascimento, conhece alguém que já foi. “Conheço várias pessoas que já foram assaltadas. Tem uma esquina aqui perto que ninguém pode passar depois das 19h que é assaltado”, ressalta.

De acordo com o comandante da força tática da Choque, o capitão George, a invasão é conhecida como ponto de venda de drogas. “Por serem pessoas carentes os traficantes acabam se infiltrando e dando drogas para comercializarem”.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais