Crime no Resun: julgamento é adiado por falta de quórum

0
Claiton Ramos no momento em que saia do Resun (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Apenas nove jurados compareceram ao Fórum Desembargador Gilson Gois Soares, na manhã desta quarta-feira, 28 para o julgamento de Cleiton Sousa Ramos, acusado pela morte da ex-companheira Danielle Bispo dos Santos em 19 de agosto de 2013 no Restaurante da Universidade Federal de Sergipe. Como é necessário um mínimo de 15 jurados, o juri que seria presidido pelo juiz Antônio Cerqueira de Albuquerque, foi adiado para o dia 18 de março.

No auditório do tribunal, a assistente do Ministério Público, Janete Oliveira conversou com a reportagem do Portal Infonet.

“Essa é a segunda vez que o julgamento é adiado devido à falta de quórum. Da primeira vez compareceram apenas 13 jurados e hoje, nove. Vamos sustentar a sentença de pronúncia: de homicídio duplamente qualificado. O réu já admitiu que foi ele quem cometeu o crime, alegando ter assassinado por amor. Não se mata por nada, nem por amor, quanto mais com 11 facadas”, enfatiza a advogada.

Advogada Janete Oliveira: "Não se mata por nada, nem por amor"

Janete Oliveira ressaltou que a vítima mantinha um relacionamento de pouco tempo com o acusado, que não teria se conformado com a separação.“Ela o conheceu e em seguida descobriu que ele já tinha sido preso e tentou se separar, quando ele soube que a vítima estava programando ir embora, foi até o Restaurante da UFS e a matou com 11 facadas, no local de trabalho. Infelizmente é aquele sentimento de posse”, lamenta a advogada acrescentando que o réu já respondia processos.

Relembre

No dia 19 de agosto de 2013 Danielle Bispo dos Santos, de 28 anos, chegou para trabalhar [era contratada por uma empresa terceirizada], no restaurante da Universidade Federal de Sergipe, o Resun, após ter feito um Boletim de Ocorrência na delegacia, contra o ex-companheiro.

Jurados faltaram e julgamento foi adiado

No meio da manhã, ela estava limpando a ‘suqueira’, quando viu Cleiton Ramos entrando e se desesperou, correndo para debaixo da pia. O ex-companheiro desferiu 11 golpes de faca peixeira tirando e a jovem morreu no local. Preso em flagrante, ele confessou o crime e alegou traição.

Claiton Sousa Ramos está preso no Complexo Penitenciário Carvalho Neto (Compecan), em São Cristóvão.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais