Cúpula discute papel da família no desenvolvimento

0

Deisi Kusztra: são esperados representantes de 192 países, além de vários Estados do Brasil
Sergipe será palco, no final deste ano, de um dos mais importantes encontros promovidos pela Organização Mundial da Família (OMF) – órgão ligado a Organização das Nações Unidas (ONU) -, trata-se da “Cúpula Mundial da Família +1”. O evento deve reunir no Estado representantes de mais de 190 países, que discutirão sobre os instrumentos necessários à construção de políticas governamentais, em todo o mundo, que realmente alcancem às famílias.

 

O encontro internacional está agendado para o período de 4 a 7 de dezembro. Na tarde de hoje, a presidente da OMF, Deisi Noeli Weber Kusztra concedeu uma entrevista coletiva e esclareceu como o Estado de Sergipe foi apontado para receber o evento, que teve sua primeira parte realizada na China. “Quando participávamos do encontro já estávamos com a pretensão de fazer a continuação da Cúpula no Brasil”, informou a representante da OMF, que explicou que o ponto decisivo par a escolha do Estado como sede do evento foi a boa impressão causada pelo programa Pró-Mulher… Pré-Família.

 

Deisi e a senadora Maria do Carmo Alves: Pró-Mulher foi decisivo
“Foi decisiva a apresentação, entre as histórias de sucesso, deste programa. Ele foi o que mais suscitou questionamentos e participações, além de ter gerado um grande número de consultas, de localidades de várias partes do mundo, sobre sua metodologia”, informou Deisi Kusztra. Para a senadora Maria do Carmo Alves, que também esteve presente na coletiva, o programa sergipano chamou atenção por ser uma iniciativa relativamente simples, mas extremamente eficiente. “Foi uma surpresa a idéia alcançar tal repercussão, ainda mais sendo um programa de atenção básica, ficamos muito felizes por isto”, revelou.

 

Na pauta da Cúpula estará a discussão e a aprovação do Plano de Ação Global 2005 – 2015, preparado na reunião anterior, na China. Segundo a presidente da Organização, o grande objetivo do evento é encontrar formas de incluir as famílias no processo de desenvolvimento das nações, cumprindo assim as metas do milênio determinadas pela ONU em 2000. “A nossa grande missão em Sergipe, após a aprovação do Plano de Ação, é realmente realizar o exercício das metas, não só no âmbito das discussões, mas que as mesmas realmente cheguem às famílias”, afirma Deisi.

 

O tema central da Cúpula será “Investindo em desenvolvimento”. Para a representante da AMF, é necessário se traduzir, em nível local, às ações planejadas. “Isto já está sendo trabalhado há bastante tempo. Queremos que as instâncias governamentais propiciem os meios para que as famílias possam exercer seus papeis e funções. Precisamos iniciar a inversão da pirâmide”, salienta Deisi, explicando a importância da força mobilizadora que, segundo ela, as famílias têm.

 

“Nós estamos acostumados a encarar as famílias sob aspectos muito específicos, mas este olhar deve ser ampliado. Hoje temos que perceber que a família é produtora e consumidora de bens e serviços. Ela é servidora, beneficiária e contribuidora do desenvolvimento. Para isto acreditamos que a educação e a conscientização dos seus membros pode afetar, de forma definitiva, a sociedade”, analisa a presidente da OMF. A organização da Cúpula em Sergipe ficará a cargo do Governo do Estado. “Vai ser um desafio muito grande, mas vamos contar da Organização Mundial da Família para nos apóiar nesta importante iniciativa”, diz a senadora Maria do Carmo.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais