CUT promete paralisar ônibus e comércio no dia 5

0
Organizações se reuniram nesta terça para deliberar ações (Foto: Iracema Corso)

“Vai ter greve”. É o que afirma o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), Rubens Marques de Sousa. A paralisação que ocorrerá na próxima terça-feira, 5, é uma forma de protesto contra a Reforma da Previdência e de mostrar descontentame deputados federais e senadores de Sergipe. Na tarde de hoje, diversas organizações estiveram reunidas para deliberar suas atuações no dia da greve.

De acordo com ele, diversas ações serão tomadas no dia 5, e a concentração para as atividades se iniciam a partir da meia-noite. “Vamos fechar as garagens de ônibus e o comércio. A nossa determinação em fechar bancos, comércio e garagens é tão certa, que não faremos ato à tarde e toda a energia será concentrada pela manhã”, declara. “Também teremos o trancamento das rodovias federais e estaduais”, completa.

Segundo Rubens, esta greve deve ter uma dimensão maior do que as outras, a exemplo da que ocorreu no dia 10 de novembro.“Essa vai ser diferente, vai ser uma greve forte”, acredita. "O objetivo é colocar na berlinda os deputados federais de Sergipe, que tem reiteradamente tem votado contra o povo. É preciso fazer luta, greves e chamar a atenção, mas destacando que a reforma para tirar direito dos trabalhadores, porque houve um golpe”, declara.

Participaram da reunião desta quarta as seguintes organizações: Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Sindicato dos Rodoviários (Sinttra), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos (MOTU), Mov. dos Pequenos Agricultores (MPA), Mov. Camponês Popular (MCP), Partido dos Trabalhadores (PT), Consulta Popular, Levante Popular da Juventude e Central de Grêmios Estudantis.

Por Yago de Andrade e Verlane Estácio

Comentários