Defesa Civil alerta para o risco de deslizamento em áreas de encostas

0
(Foto: Ilustrativa/Arquivo Infonet)

Nesse período de chuvas intensas a Defesa Civil alerta a população da capital e do interior para os riscos de deslizamentos e alagamentos provocados pelo alto volume de chuvas. Até o momento, contudo, nenhuma ocorrência de incidente foi registrada.

Segundo o major Luciano Queiroz, da Defesa Civil do Estado, de início se pensou que os riscos de alagamento no Alto Sertão e toda região do Centro Sul Sergipano fosse maior, no entanto, segundo o major, ao longo dos dias as chuvas foram se normalizando e as atenções passaram a ser voltadas para outros municípios do estado, como Aracaju, Carmópolis e Japaratuba, e mais principalmente para as áreas de encosta, que estão presentes no bairro América e Coqueiral. “Quando há muita incidência de chuvas em um curto período nós elaboramos possíveis planos de contingência para ajudar a população que vive em aéreas de risco”, destaca.

Queiroz destaca que a população dos bairros América e Coqueiral estão mais suscetíveis a alagamentos ou deslizamentos em virtude do relevo acidentado que engloba boa parte dessas localidades. “Os moradores desses bairros devem ficar em alerta para quaisquer sinais de riscos, como rachaduras na parte interna ou externa das casas, especialmente nas paredes e no chão; além de árvores e postes que estejam levemente inclinados”, destaca. “Assim que notarem essas alterações o mais correto a se fazer é procurar a casa de amigos ou parentes para se abrigarem, pois o risco de acontecer algum incidente é muito grande”, alerta.

Ainda segundo o major Queiroz, como a cidade de Aracaju possui deficiências quanto à drenagem de água das chuvas, a probabilidade de alagamentos acontecerem é quase certeira. “Nesse casos, orientamos as pessoas a terem cuidado na hora de sair de casa e andar pelas ruas, porque pode acontecer algum acidente em virtude dos buracos e bueiros que existem em muitos lugares”, afirma.

A Defesa Civil deixa claro que está a disposição da população, por meio do número (79) 9 8822-1374, para qualquer avaliação de risco.

por João Paulo Schneider 

Comentários