Delegada ouve colegas de trabalho de viúva de procurador

0
Delegada Daniela Ramos ouve mais testemunhas (Foto: Portal Infonet)

Dando continuidade às investigações, a polícia ouviu na manhã desta terça-feira, 19, colegas de trabalho da viúva do procurador aposentado, Anoilza Santos Gama Melo de Araújo. A viúva é suspeita de ter planejado o assassinato do procurador do Estado aposentado Antonio de Melo Araújo, atropelado no dia 6 de abril deste ano na avenida Melício Machado, em Aracaju.

De acordo com a delegada Especial de Delitos de Trânsito (DEDT), responsável pelo inquérito, Daniela Ramos, o objetivo é averiguar se a suspeita dividiu a situação com alguém. A viúva trabalhava em um hospital particular, localizado no bairro Jardins.

“Estamos ouvindo testemunhos de pessoas que trabalhavam com a investigada com o intuito de verificar se houve alguma mudança de comportamento e, se de alguma forma, compartilhou com alguém algo relacionado aos fatos”, explica.

Ainda segundo a Daniela, as investigações estão em andamento. “O trabalho está sendo positivo, mas ainda há muito a ser feito. Nós cumprimos os mandados de prisão e é possível que nos próximos dias outras pessoas voltem a prestar depoimento”, antecipa.

A delegada não entrou em detalhes sobre o conteúdo dos depoimentos. Sobre o condutor do veículo que atingiu o procurador, a delegada explica que este é um dos focos da investigação, mas preferiu não entrar em detalhes.

Prisões

Após as investigações a polícia prendeu cinco pessoas suspeitas de ter participado do suposto crime. São elas: Anoilza Santos Gama Melo de Araújo [viúva de Antônio] e suposta mentora do crime, Gabriel Ernesto Nogueira de Oliveira [namorado de uma das filhas de Anoilza], Manoel Nogueira Neto [pai de Gabriel Ernesto], Gabriela Figueiredo Guedes [colega de trabalho de Anoilza] e Felipe Dias Gomes [genro de Anoilza].

Por Eliene Andrade

Comentários