Demitidos da VCA discutem se entram com ações na Justiça

0

Reunião aconteceu no auditório da SMTT (Foto: Itacy Marques)

Os mais de 130 demitidos da Viação Cidade de Aracaju se reuniram na manhã desta sexta-feira, 7, com o advogado Gustavo que orientou os ex-funcionários a entrarem na Justiça no sentido de conquistarem direitos como salários atrasados e Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

De acordo com um dos demitidos, Alexandro da Silva Santos, já não sabem o que fazer para solucionar o problema da falta de cumprimento da legislação trabalhista.

“A reunião de hoje não resolveu nada. Só quem compareceu foi o advogado porque o vereador Adriano Oliveira não compareceu, pois tinha outro compromisso na Câmara Municipal de Aracaju", afirma Alexandro da Silva lembrando que as demissões aconteceram no último dia 18, após a greve.

Segundo o advogado Luis Gustavo Vasconcelos,  a reunião teve por finalidade esclarecer o que está acontecendo e orientar os demitidos sobre as verbas rescisórias.

“Viemos mostrar como eles devem fazer para receber as verbas rescisórias, que estão sendo marcadas as datas e não estão sendo cumpridas no sindicato. Estou esclarecendo que o único meio que tem que fazer é entrar com uma ação na Justiça do Trabalho. Podem dar entrada, além de ações individuais, ações coletivas”, destaca o advogado.

Quanto ao FGTS, o advogado explicou: “Muitos deles não têm depositado o FGTS e como a empresa não libera as rescisões, não tem como dar entrada no Seguro-desemprego. Eles podem entrar na Justiça pedindo que a empresa libere o FGTS e através de alvará judicial, as guias de seguro-desemprego”, enfatiza Luis Gustavo.

Na VCA, a informação é de que o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Aracaju (Setransp) é que está respondendo pelo assunto, mas no Setransp, a explicação é de que não falam pela VCA.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais