Demolição causa prejuízos no Marivan

0

Muros e casas que estavam na faixa de segurança foram derrubados (Fotos: Portal Infonet)
A demolição de casas e de parte de imóveis no loteamento Marivan deixou moradores revoltados. A informação da população é que desde a última segunda-feira, 22, a Petrobras começou a delimitar uma área e a derrubar todas as construções que passavam por uma faixa de segurança da rede elétrica. Os moradores alegam que não receberam a notificação sobre a demolição e que ficaram no prejuízo, pois não foram indenizados pela derrubada.

O funcionário público Ricardo Sobral, que há mais de 20 anos reside no local, afirma que tem a posse da terra legalmente e que na ação pedida pela Petrobras para derrubar os imóveis, foi retratado como invasor. “Mesmo tendo a posse da terra, fomos colocados como invasores. Nenhuma notificação foi entregue em mãos aos moradores e na

A rede elétrica de 69 mil volts seria o principal motivo da derrubada
segunda-feira [22] chegaram aqui com a ordem judicial e derrubaram”, alegou.

O técnico em radiologia médica acrescentou que é proprietário do terreno há 30 anos e que somente há dois foi procurado por um técnico da Petrobras, que relatou sobre a possibilidade de retirar os imóveis que estivessem invadindo a faixa de segurança. “Nós fomos enganados porque chegaram aqui há dois anos, entraram nas casas e disseram que a Petrobras iria indenizar os donos dos imóveis”, conta Sobral, salientando que além do transtorno de ter parte do imóvel derrubado, arcou com um prejuízo inicial de R$ 1.500.

“A garagem da minha casa tinha capacidade para quatro carros e agora só dá para um, vou ter que fazer algumas adaptações, mas não entendi porque a Petrobras tenha demorado mais de 20 anos

Luis Roberto explica que a população estava correndo perigo
para perceber que as pessoas estão correndo risco com a rede de alta tensão”, observa.

O diretor de comunicação da Petrobras, Luiz Roberto Dantas, explicou ao Portal Infonet que a derrubada foi fruto de uma decisão judicial. A informação dele é que as construções que ficavam na faixa de segurança de transmissão da rede elétrica foram retiradas por medida de segurança.

“Serão derrubados 1.300 metros que foram construídos embaixo do fio de alta tensão. A rede tem 69 mil volts é um perigo muito grande para esses moradores”, esclarece.

Luiz Roberto enfatiza que as derrubadas serão executadas até o dia 30 desse mês. Questionado sobre a falta de indenização, o representante da Petrobras disse que não foi determinado o pagamento no processo.

Por Kátia Susanna

Comentários