Demora na entrega de praça histórica incomoda moradores

0

Emurb diz que praça será entregue dentro de 15 dias (Fotos: Portal Infonet)

Maria do Socorro fala dos prejuízos que a falta de movimento trouxe para seu comércio

"Estamos mais sujeitos a roubos", diz Edson Brabec, também comerciante

A demora na entrega da obra da Praça dos Expedicionários vem incomodando bastante moradores e comerciantes das áreas vizinhas. Com relatos de roubos, homicídios e acidentes de trânsito no local, o atraso para finalizar a reconstrução é apontado pela população como um agente determinante para a recorrência de crimes.

Maria do Socorro mora em frente à praça há 20 anos e reclamou dos transtornos provocados pela lentidão na execução da reforma. “Sou comerciante, e perdi o movimento quase todo. Ninguém vem mais aqui, fica muito esquisito. Tem muito assalto, e fico sem poder trabalhar. Pagamos os impostos e nada adianta. Ficamos prejudicados com o tempo em que está fechada”.

A obra começou em fevereiro do ano passado e, na previsão inicial, deveria ter terminado em agosto de 2016, e completa treze meses sem que todas as adequações estruturais sejam concluídas. A intervenção tem um orçamento inicial de quase R$1,1 milhão, oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e promovidos pelo Instituto Brasileiro do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Também comerciante, Edson Brabec reforçou que todos vêm sofrendo prejuízos. “Não atrapalha só a mim. Os tapumes fecham a visualização aos galpões, e estamos mais sujeitos a roubo. É uma falta de compromisso”, protestou.

O assessor de Comunicação da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Ademar Queiroz, informou que toda a parte estrutural já foi concluída. “Agora resta o procedimento de restauração do monumento dos pracinhas, que exige um trabalho técnico especializado. A previsão é de que nos próximos 15 dias isso acabe, e o espaço estará pronto para ser entregue à população”, garantiu.

Sobre as questões ligadas à segurança não só nos arredores da Praça dos Expedicionários, mas também em todo o bairro, o tenente-coronel Vivaldy Cabral, comandante do policiamento da capital, informou que as rondas policiais são feitas regularmente pelo 8º Batalhão da PM. 

Por Victor Siqueira 

Comentários