DER reconhece problemas em rodovias

0
DER anuncia projetos para recuperação de malha viária (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Estão em situação crítica as rodovias estaduais mantidas pelo Departamento de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe (DER). De acordo com o DER, são estradas com idade média de cerca de 30 anos. Com o tempo, conforme o DER, o asfalto perde a resistência e com as chuvas intensas ocorridas neste ano, os buracos nas vias aumentaram de forma exponencial e classifica como necessária a recuperação geral de grande parte da malha viária do Estado.

A falta de recursos é um dos fatores que impedem a recuperação, mas o Governo, conforme a assessoria de imprensa do DER, está buscando créditos junto ao Governo Federal para fazer os reparos. A falta de investimentos neste setor, conforme a assessoria, é também consequência da crise econômica que o país enfrenta, afetando diretamente os Estados e Municípios brasileiros, que enfrentam problemas decorrentes da queda na arrecadação e frustração de receitas.

O Estado avalia que já foram realizados investimentos na ordem de R$ 3 milhões em obras em diversas rodovias e a existência de projetos no âmbito da Secretaria de Estado da Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano (Seinfra) e do DER para recuperar trechos danificados na SE 100, que liga Pirambu ao município de Pacatuba, com implantação e pavimentação da rodovia interligando o povoado Cruz das Graças a um trecho da SE 175, em Nossa Senhora Aparecida.

Há projeto, conforme o DER, para implantação da Rodovia SE-170, no trecho entre os povoados Carro Quebrado e Escurial, no município de Nossa Senhora de Lourdes, pavimentação da rodovia SE-255, que liga os municípios de Itabaiana e Itaporanga D”Ajuda, rodovia SE- 204 que liga os municípios de Japoatã a Propriá, e a interligação das avenidas Rio de Janeiro e Gasoduto, em Aracaju.

A assessoria de imprensa do DER explica que o Governo do Estado está aguardando a liberação do financiamento para a implementação destas ações para recuperar os trechos que apresentam complicações, para realizar os serviços de acordo com os padrões técnicos, e também para construir novas rodovias.

Por Cássia Santana, com informações da Ascom/DER

Comentários