Desembargador diz estar orgulhoso por assumir cargo

0

“Espero prestar uma boa Justiça ao povo sergipano”, diz desembargador
Toma posse como Desembargador do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ-SE) nesta quarta-feira, 28, o juiz Ricardo Múcio Santana de Abreu Lima. Ele foi escolhido pelo presidente da instituição, Desembargador Roberto Porto, após formação de uma lista tríplice pelo critério de merecimento no último dia 7.

Em entrevista coletiva nesta tarde, o novo desembargador disse ter orgulho de assumir a posição e diz que pouca coisa deve mudar, pois, segundo ele o TJ é modelo de uma justiça eficiente e prática. “Minha missão é continuar oferecendo o meu trabalho, devotando todos os esforços. Estou no TJ há mais de três anos e, agora, fazer parte de forma definitiva é motivo de felicidade. Espero prestar uma boa Justiça ao povo sergipano”, comenta Ricardo Múcio.

A atual vaga para Desembargador, deixada por Célia Pinheiro, que se aposentou no mês passado, deveria ser preenchida por um Juiz de Direito. Inscreveram-se onze magistrados e três formaram uma lista. Na magistratura há 20 anos, Ricardo Múcio revela sentir-se preparado para a nova etapa da carreira. “Por boa vontade e reconhecimento dos demais desembargadores eu fui escolhido, mas também por definição constitucional e dentro dos critérios constitucionais”, acrescentou.

Nome do juiz foi escolhido após a inscrição de onze magistrados
A posse dele estava marcada para o dia 14, mas o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) concedeu liminar para suspender a solenidade. A decisão foi revogada no dia 21, pela conselheira-relatora do processo de suspensão. “Essa questão eu considero como resolvida, porque a própria conselheira voltou atrás na decisão e viu que não tinha qualquer fundamento. Era uma denúncia vazia”, explicou o novo desembargador.

Biografia

Ricardo Múcio foi aprovado no concurso para Juiz em março de 1989, tomando posse como juiz substituto da Comarca de Tobias Barreto em 26 de dezembro daquele ano. Em outubro de 1992 foi promovido, por merecimento, para a Comarca de Lagarto. Em maio de 1993 foi designado para responder pela 1ª Vara Cível da Comarca de Aracaju e removido para a 2ª Vara Privativa de Assistência Judiciária em agosto de 1993.

De 2003 a 2008 foi o Juiz Titular da 16ª Vara Cível – Juizado da Infância e Juventude onde foi premiado pelo desempenho. Em 2008, atuando como Juiz Titular da 21ª Vara Cível, foi novamente premiado porque apenas 1,87% dos 589 processos em andamento na Vara de atuação dele estavam atrasados, o que traduziu o empenho e zelo do magistrado em suas funções. Foi também Juiz Corregedor em 1998 e Juiz Auxiliar da Presidência do TJSE em 2001.

Por diversas vezes foi designado para substituir Desembargadores. Foi presidente da Associação dos Magistrados de Sergipe (Amase) por dois mandatos, de 1996 a 1997 e de 2000 a 2001. Também foi membro do TRE no biênio 2004-2006, onde presidiu a Comissão de Apuração Paralela das Eleições 2004.

Comentários