Desipe diz que população carcerária não cresceu em SE

0

Celas superlotadas (Fotos: Arquivo Portal Infonet)

A população carcerária cresceu em todo o país, em torno de 30% nos últimos cinco anos, segundo Relatório Mundial sobre Direitos Humanos, divulgado recentemente. Em Sergipe, apesar de o Sindicato dos Agentes Penitenciários, garantir que a situação não é diferente e que a superlotação vem ganhando cada vez mais espaço nas celas, o diretor do Departamento Penitenciário (Desipe), Manoel Lúcio Neto, no Estado, confirma que a população carcerária em 2013 se manteve a mesma de 2012, ou seja, de pouco mais de quatro mil presos.

Dados do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Sergipe dão conta de que a situação mais grave está presente no Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto, localizado em São Cristóvão.

Presídio de Areia Branca passa por reformas

Compecan é um dos mais problemáticos

“Ali, a capacidade é para 800 presos, mas atualmente abriga 2.300. Em Sergipe, a questão do setor prisional é de superlotação. No presídio de São Cristóvão é só para presos provisórios, enquanto que os condenados vão para os complexos penitenciários de Nossa Senhora da Glória e de Tobias Barreto. Na verdade, todos os presídios estão superlotados”, destaca o presidente do sindicato, Edilson Souza.

De acordo com ele, não adianta investir em novos presídios se não contratar mão de obra especializada.

“Sabemos que a superpopulação carcerária é um problema existente no país inteiro, mas não entendemos como os governantes ampliam ou constroem presídios sem pessoal para trabalhar. O certo é fazer concurso público primeiro visando garantir mão de obra. O Cadeião de Estância vai ser inaugurado em junho deste ano, mas não tem pessoal para trabalhar”, lamenta Edilson Souza.

Demora

Dados do Sistema Integrado de Informações Penitenciárias (InfoPen), do Ministério da Justiça, os atrasos no sistema de Justiça contribuem para a superlotação. Para se ter uma ideia, quase 200 mil presos aguardam julgamento no país.

“Aqui, a população carcerária se mantém a mesma de 2012, ou seja, de pouco mais de quatro mil e 600 presos”, ressalta Manoel Lúcio.

Indagado sobre a possibilidade de realização de concurso público para atuação nos presídios sergipanos, o diretor do Desipe afirmou que “Não existe previsão para concursos voltados para contratação de mão de obra para os presídios”.

Comissão

Manoel Lúcio: "População carcerária em Sergipe é a mesma de 2012"

Ano passado, deputados que integram a Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Sergipe, Gilson Andrade (PTC) e Capitão Samuel Barreto (PSL), fizeram uma visita ao Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Compecan), em São Cristovão, e ao Presídio Feminino, em Nossa Senhora do Socorro.

Na ocasião eles constataram a superlotação nas celas e a falta de funcionários para tomar conta dos pavilhões, principalmente no Copecan.

Muitos presos continuam aguardando em delegacias tanto da capital como do interior, vagas nos presídios. “Está sendo construído o Cadeião de Estância e reconstruído o Presídio de Areia Branca, destinado aos presos provisórios”, completa o diretor do Desipe.

Tobias Barreto

Deputados Samuel Barreto e Gilson Andrade durante visita aos presídios

Em janeiro deste ano, o governador Jackson Barreto (PMDB), inaugurou a reforma e ampliação do Presídio Regional Manoel Barbosa de Souza, localizado no município de Tobias Barreto.

“Através da televisão, estamos acompanhando crises em presídios no país. Em Sergipe não tem isso”, destacou Jackson Barreto na ocasião lembrando que, com a reforma do presídio foram abertas 240 novas vagas na unidade prisional, ampliando a sua capacidade para 351 apenados.

Por Aldaci de Souza

.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais