Detentos de presídios sergipanos são testados para a Covid-19

0
A previsão é realizar mil testes em detentos (Foto: Lysandro Borges/UFS)

A Universidade Federal de Sergipe (UFS) já deu início a testagem para o novo coronavírus nas unidades prisionais do estado. A previsão é realizar mil testes em detentos.

Até o momento, a testagem já foi realizada nos internos do Cadeião de Nossa Senhora do Socorro, Cadeia Pública de Estância, Presídio Regional Senador Leite Neto (PRESLEN) em Glória e no Presídio Feminino (Prefem) com a realização de 450 exames.

Os testes realizados são de antígeno [que detecta o núcleo proteínas do vírus por meio da coleta de um swab nas secreções respiratórias dos pacientes], além do anticorpo IGM e IGG.

De acordo com o professor e pesquisador da UFS, Lysandro Borges, o teste irá direcionar gestores da Sejuc e evitar o contágio da doença. “O teste é para fornecer aos gestores subsídios de critérios de abertura das visitas. Nós usamos com base no calculo amostral. Não são todos os detentos testados, ou seja, de cada cela é pego um preso e feito o teste para termos uma amostragem. A previsão é fazer uma média de 150 testes em cada presídio”, conta o professor.

Ainda segundo Lysandro Borges, os detentos não estão criando resistência aos testes. “Eles estão colaborando porque sabem que esses exames é o critério de liberar as visitas e por isso eles querem fazer”, diz

A partir da próxima semana, os testes serão realizados nos detentos de Tobias Barreto, Areia Branca e no Complexo Penitenciário Advogado Antonio Jacinto Filho (Compajaf).

O professor acredita que na segunda-feira, dia 14, quando haverá a retomada das visitas nos presídios, já se tenha o resultado dos exames que será divulgado para a imprensa.

por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais