Direitos Humanos fará ato contra extermínio da juventude

0

Jovem foi assassinado (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Neste sábado,16, a partir das 14h, no conjunto Parque dos Faróis, será realizado um ato cultural e ecumênico contra o extermínio da juventude e em homenagem a David Phelipe. Oficinas de arte, apresentações culturais, um ato ecumênico e o lançamento do documentário: “Pela resistência dos autos”, em homenagem ao jovem David Phelipe, essas serão as principais atrações do ato contra o extermínio da juventude que acontecerá neste sábado,16, a partir das 14h, na praça de eventos do conjunto Parque dos Faróis.

Um evento que tem como objetivo trazer à tona a problemática do extermínio da juventude da periferia e homenagear o jovem David Phelipe, assassinado no dia 12 de março de 2014 em uma abordagem policial perto do local onde morava com sua mãe e irmã.

A expectativa do Movimento Nacional de Direitos Humanos em Sergipe, entidade organizadora do evento, é de reunir mais de 600 pessoas no ato que contará com uma grande estrutura de palco e som, além de todo apoio necessário para realização do ato.

As oficinas artísticas acontecerão a partir das 14h, com temas que vão da capoeira até o grafite. Logo depois da realização das oficinas, acontecerá o ato ecumênico envolvendo as religiões católicas, espirita, evangélica e o candomblé, e por fim, o lançamento do documentário “ Pela Resistência dos autos”, registrando a vida de David Phelipe.

Para a articuladora do MNDH em Sergipe, Lídia Anjos, o ato será um momento de contestação à realidade cada vez mais crescente no nosso país; a morte da juventude da periferia pela ação direta da polícia militar.

“Estamos organizando este ato para que possamos, a partir da homenagem ao David Phelipe, denunciar essa cruel realidade que vem se cristalizando ao nosso estado e no Brasil; a morte de jovens por uma abordagem policial que julga e mata no mesmo momento. Não podemos aceitar que a juventude continue morrendo pelas balas da polícia. A violência  por parte do Estado é inaceitável!”, afirma a articuladora. Para a mãe de David Philipe, Vanúzia Motta, esse é o momento para cobrar justiça.

“ Vão completar cinco meses que o meu filho morreu, de forma injustificada, por conta de uma ação policial. Minha vida, desde então, deu uma reviravolta. O mais angustiante, além da saudade que sinto todos os dias do meu David, é a  falta de uma punição para os homens que mataram o meu filho, e não vou sossegar enquanto a justiça não for o resultado para a tragédia que se abateu sobre a minha família”, afirma Vanúzia.

Programação

14h

Oficinas:
– Capoeira
– Educomunicação
– Estêncil
– Grafite
– Percussão

16h

Ato Ecumênico em Homenagem a David Philipe e Contra o Extermínio da Juventude

17h30

Lançamento do Mini-documentário "Pela Resistência dos Autos"

Com informações da Agência Voz

Comentários