Dorgeval Luciano dos Santos é recapturado

0

Foi recapturado, no fim da tarde de ontem, dia 31 de julho, no município de Nossa Senhora das Dores, interior de Sergipe, Dorgeval Luciano dos Santos. Ele escapou do presídio de Nossa Senhora da Glória na última segunda-feira, junto com mais cinco detentos. Santos, também conhecido como “Compadre”, foi condenado pela execução do assassinato do deputado estadual Joaldo Barbosa, em janeiro de 2003.

De acordo com o relato de assessor especial da delegacia de Dores, Arionaldo Matos, o fugitivo foi recapturado através da ajudas de populares do povoado Sapé, localizado no município. Em relato ao programa “Fala Sergipe”, da rádio Atalaia AM, Matos contou que os moradores perceberam a presença de duas figuras estranhas e resolveram acionar a polícia, que dirigiu-se ao local com quatro homens por volta das 17 horas.

“As pessoas do Sapé ligaram e informaram que tinham duas pessoas estranha por lá, isso foi por volta das 17 horas, e realmente tinha. Encaminhamos uma equipe para o local. Quando chegamos, um dos fugitivos correu para o mato e conseguiu escapar. O Compadre escondeu-se na beirada do mato, mas nós o localizamos e recapturamos. Ele não apresentou resistência, pois foi cercado pelos policiais e mais um grupo populares que estavam com pedras pedaços de pau. Quando viu que não tinha jeito colocou as mãos na cabeça e se entregou”, contou Matos.

Sobre a fuga, o assessor disse que Santos relatou que desde que chegou ao presídio de Glória, a cerca de mais ou menos um mês atrás, soube que uma fuga já estava sendo planejada, só não tinha dia certo. Ele contou também que os presos colocavam toalhas no alambrado do campo de futebol durante os jogos entre os presos para enganar os policiais. Santos acrescentou que o túnel já estava pronto, que no dia da fuga ele foi o último a sair.  

O assessor da delegacia de Dores informou ainda que Dorgeval Luciano dos Santos disse à polícia que pretendia vir para Aracaju para da capital seguir para Brasília, mas ficou perdido e desorientado e foi parar no povoado Sapé, em Dores. Sobre o motivo de sua ida à capital do Brasil, Santos explicou que queria ir para lá para falar pessoalmente com ministro da Justiça, Márcio Tomas Bastos, com quem já tinha trocado correspondência, segundo o próprio detento.

Arionaldo Matos informou por fim que Santos não revelou o conteúdo da conversa que teria com o ministro da Justiça e que, ainda no dia de hoje, o detento deve ser devolvido ao sistema prisional após uma apresentação na Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais