Drogas e prostituição tomam conta das ruas da Atalaia

0

Garota de programa é abordada por carros
Após denúncia recebida pelo Portal Infonet sobre tráfico de drogas e prostituição, foi comprovado pela reportagem que em plena luz do dia, meninas fazem programa em ruas próximas da orla de Atalaia, além disso, existem bocas de fumo no local que servem de ponto para o comércio de entorpecentes.

O problema principal se concentra em seis ruas que ficam atrás do BNB Clube e da antiga Associação dos Técnicos de Petróleo do Nordeste (ATPN), ao lado do SESC da Atalaia. Em cerca de meia hora circulando pelo local, o Portal Infonet flagrou o uso de drogas e meninas se oferecendo para motoristas que passavam nessas ruas.

Uma casa atrás da ATPN que havia sido invadida há 

Local funciona como boca de fumo
cerca de um mês foi demolida na semana passado, e em frente ao local foi instalado um trailer. Segundo um comerciante que tem estabelecimento próximo, no fim da tarde as esquinas ficam cheias de adolescentes se prostituindo.  

“Na esquina os menores ficam se vendendo e traficando, essa casa que existia era um ponto de apoio desses traficantes, o movimento aumentou muito depois dela. A casa foi demolida na semana passada e o trailer foi colocado em frente para continuarem usando o ponto”, afirmou o senhor que não quis se identificar.

De acordo uma moradora de uma dessas ruas até sair de casa para ir academia é difícil. “Quando vou para a academia do SESC a gente não pode vir até aqui porque os carros nos param pensando ser prostitutas, é horrível”, disse.

jovens fumam cigarro de maconha na orla de Atalaia
Para outro morador do bairro, o problema é o reflexo do abandono social. “Por causa da prostituição, tem muito menor nas esquinas daqui. Do ponto de vista social é degradante, muita criança se vende e isso é o reflexo do desemprego, do abandono social, da ausência do Estado. Inclusive tem sempre um carro de empresas de turismo por aqui que trazem clientes”, denunciou.

O porteiro de um dos prédios na rua diz que as brigas por conta de drogas ou clientes são constantes. “Tem sempre três ou quatro prostitutas em frente ao prédio, ficam passando droga, às vezes tem briga entre elas por causa de um cliente que quer programa. A gente liga para a polícia, mas a viatura demora mais de uma hora a chegar, às vezes acabam nem vindo”, disse.

Ações

Meninas fazem programa na orla de Aracaju
Em contato com o capitão Barbosa, responsável pelo policiamento da região da orla, foi dito que a Polícia Militar tem conhecimento da situação e vem tomando providencias. “Nós já havíamos identificado o problema e intensificamos as rondas no local. Felizmente no final da semana passada essa casa que era utilizada como boca de fumo foi demolida. Ontem, segunda-feira, fomos até o local e dissemos para o proprietário do trailer retirar as coisas da frente da casa demolida, nos próximos dias estaremos fazendo novas ações nessas ruas”, informou.

Com relação a prostituição o capitão da PM informou que o problema só pode ser resolvido numa ação conjunta com outros órgãos. “A prostituição é um problema social que vai além das ações que a polícia pode tomar. Tem que haver um trabalho com órgãos de assistência social, de educação para poder acabar ou pelo menos diminuir o comércio sexual”, falou.

Por Bruno Antunes

Comentários