E o projeto da OMF vai continuar ou não?

0

A Dra. Daisy Kusztra, presidente da Organização Mundial da Família (OMF) passou a semana em Aracaju. Foi ela quem anunciou, há algum tempo atrás, um projeto denominado de Via Rápida, que iria investir 470 milhões de dólares em projetos visando o desenvolvimento do estado.

O governador João Alves Filho chegou a mandar um projeto de lei introduzindo no Orçamento do Estado a importância de 115 milhões de dólares para executar alguns destes projetos. Mas, foi ela quem, ainda no período eleitoral, disse que se o governador João Alves não fosse reeleito, o programa do Via Rápido seria suspenso, não teria continuidade.

O repórter quis saber, então, de d. Daisy – já que vai haver alternância de poder, com a vitória do ex-prefeito Marcelo Déda – se o Via Rápida acaba aí. “Ainda não, João Alves é governador até 31 de dezembro e o Brasil ainda está em período eleitoral, com as eleições presidenciais em segundo turno. De qualquer forma, estamos atendendo a um pedido do governo federal para que não se investisse um centavo de dólar no Estad, para evitar exploração eleitoral. Foi um pedido incoerente e anti-ético, até democrático, mas foi apresentado oficialmente e a minha entidade resolveu esperar passar o período eleitoral”.

D. Deisy Kursztra disse que não havia necessidade de se mandar projeto para a Assembléia, visando incluir verbas no orçamento do Estado. “Não era necessária essa providência”. 

Quando argumentada se aceitaria continuar a discutir com o novo governo o projeto da Organização Mundial da Família? Ela respondeu: “Nesse momento eu não aceitaria. Mas minha organização precisa conhecer os projetos do novo governo, para ver se eles se adaptam aos projetos da OMF e aí então reiniciamos as negociações. Há a necessidade também de o governador eleito demonstrar interesse pelo programa”.

Ela garante que a mudança do titular da Secretaria Geral da ONU, em dezembro próximo, não afeta o programa. “Não muda absolutamente nada”. Por fim, ela disse que se não tivesse ocorrido o pedido do governo federal para retardar o investimento do Via Rápida, muitos projetos já estariam em fase adiantada. “E eu lhes asseguro que Sergipe seria um dos Estados mais ricos do País”, finalizou.

Por Ivan Valença

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais