Eleição para conselheiro tutelar gera denúncia em Socorro

0

Maria Cristina quer esclarecimento dos fatos (Foto: Portal Infonet)
A seleção de conselheiros tutelares no município de Nossa Senhora do Socorro vem gerando reclamações entre os candidatos que ficaram na suplência. A segunda suplente Maria Cristina dos Santos reclama que a candidata Ana Lúcia dos Santos já está atuando mesmo sem ter sido classificada “talvez por ser a esposa do presidente do Conselho Tutelar, Jorgeval dos Santos. Outra que foi convocada mesmo sem ter sido selecionada é Maria Dulceli O. Santos.

“A informação que temos é de que Maria Dulceli, conhecida como Dulce possui parentesco com servidores da Prefeitura de Socorro. O que causa estranheza é justamente o fato de parentes não poderem participar da seleção. Já procurei o Ministério Público e me disseram que só poderia entrar com uma ação se fosse em conjunto com a candidata que ficou como primeira suplente, mas ela não pretende fazer isso e eu espero que Prefeitura de Socorro tome as devidas providências. Como é que a esposa do presidente do Conselho não é classificada e já está atuando?”, indaga Maria Cristina.

Ela explicou que a eleição aconteceu no último dia 13 de março, quando foram escolhidos cinco titulares e cinco suplentes. Semana passada, foi realizada a capacitação. “Eu também participei como segunda suplente, mas o que quero mesmo é que a coisa seja feita da maneira correta. Se duas candidatas não passaram na seleção, porque estão tomando vagas de quem ficou na suplência, só porque são parentes do conselheiro ou de funcionários da prefeitura?”, revolta-se.

Contraponto

Na assessoria de Comunicação da Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, a informação é de que “a Prefeitura de Socorro não tem como intervir no processo de escolha dos conselheiros. A seleção é acompanhada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e pelo Ministério Público. A votação foi feita inclusive por meio de urnas eletrônicas e qualquer pessoa que possui título eleitoral em Nossa Senhora do Socorro, pôde votar”.

Quanto à escolha da esposa do presidente do Conselho Tutelar de Socorro, a assessoria destacou que “o presidente Jorgeval foi afastado durante todo o processo eleitoral, o que deu direito à esposa concorrer. Ela foi a mais votada, estando legitimamente apta a ocupar o cargo e quanto à Maria Cristina, ela participou da capacitação, recebeu o certificado, mas como é suplente, não pode assumir, sem que um titular seja afastado”.

O Portal Infonet está a disposição das pessoas denunciadas, a exemplo do presidente do Conselho, o Sr. Jorgeval dos Santos para quaisquer esclarecimentos.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais