Embate entre João Fontes e Jackson Barreto continua

0

Agência Câmara
O embate entre os deputados federais Jackson Barreto (PTB) e João Fontes (PDT) parece que está longe de terminar. Hoje Fontes voltou a comentar a declaração e Barreto dando conta de que entraria com uma representação contra ele na Corregedoria da Câmara Federal. “Eu gostaria muito que ele me representasse na Comissão de Ética ou na Corregedoria, pois seria uma oportunidade para eu mostrar quem é Jackson”, declarou Fontes, que definiu o petebista com uma figura deplorável e fora de moda.

O deputado federal do PDT continuou dizendo que Barreto não tem moral para apresentar representação contra ninguém. “Ainda mais a mim que Sergipe conhece, que nunca fui denunciado por ninguém. Me sentiria muito cavalheiro em ir à Comissão de Ética mostrar a história de Jackson que foi afastado da Prefeitura, depois passou 30 anos xingando a família Franco e agora mudou o discurso. Que dizia que Maria do Carmo era a mãe dele e hoje xinga ela e João Alves. Sergipe inteiro conhece a nossa história e todo mundo conhece o passado deplorável de Jackson”, continuou o pedetista. 

Para João Fontes, Barreto está com a “síndrome de Roberto Jefferson”. Ele afirma que as declarações do petebista chamando de moleque e colocando que ninguém leva Fontes a sério no Congresso Nacional “é mais uma asneira, uma mentira. Eu sou tão levado a sério tanto é que o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), em três anos seguidos me aponta como um dos mais atuantes. Ele tem é inveja porque ele é apagado, e só é lembrado pelo seu passado. Acho que cabe nele isso que ele está falando de mim. O país inteiro sabe o respeito que eu tenho dentro do Congresso Nacional”, disse Fontes.

Diante dos ataques Jackson Barreto disse que não costuma fazer declarações desse tipo, ma que acha que João Fontes é mais que um moleque e que ele  precisa produzir mais pelo Estado. “Você não vê nenhuma ação dele que tenha trazido benefício para Sergipe. Você não conhece nenhuma iniciativa, nada que feito diferença para o Estado. Ele não vai à reunião com o MEC para ver a situação do plano de expansão da UFS. Ele quer aproveitar essa onda de lama, toda essa imoralidade imoralidade, isso que está acontecendo a partir das denuncias do PTB para jogar lama nos deputados do Estado como forma de querer aparecer”, rebateu Barreto.

Jackson Barreto prosseguiu questionando “que moral tem João Fontes para falar de alguém. Ele é um mentiroso e teve a eleição mais corrupta da história desse Estado. A campanha dele custou muito mais de R$ 1 milhão. Eram dois mini-trios, ônibus, faixas no Estado inteiro, camisa fio 30 de melhor qualidade”, alegou o pedebista. Barreto afirmou ainda que Fontes foi eleito com a sobra de votos dele e do pastor Heleno (PL) e que o petebista teria comprado voto para eleger-se em 2002.

“Ele vai para o jornal diz as coisas depois disse que não falou nada daquilo. Ele é um irresponsável, mentiroso e falso. Você tem inveja de Jackson porque eu sou tratado com respeito na Câmara Federal pela minha história, e não sou tratado de forma amolecada como você. Ele não tem mais apoio dos grupos sociais, dos que votaram nele em 2002, hoje quase todos estão votando em Jackson. Estive procurando o corregedor e vou entrar com uma representação contra ele e estou estudando um processo por injuria e difamação”, finalizou Jackson Barreto que se recusa a debater com Fontes.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais