Emsurb dá 48h para comerciantes desocuparem praça na Aruana

0
Segundo os comerciantes ouvidos pelo Portal Infonet, fiscais da Emsurb levaram a notificação nesta última quarta-feira, 29 (Foto: enviada por internauta)

Comerciantes da Aruana, na zona de expansão da capital, foram pegos de surpresa com a notificação da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) para que houvesse a desocupação do espaço público em que trabalham dentro de um período de 48 horas. Segundo os comerciantes ouvidos pelo Portal Infonet, fiscais da Emsurb levaram a notificação na última quarta-feira, 29.

O comerciante Fagner Santos afirma que tentou por diversas vezes conseguir uma autorização da Emsurb para comercializar na região, mas que nunca conseguiu. “Eu não quero o espaço público. Eu só quero trabalhar. Estou há muito tempo tentando conseguir a autorização. Mas nada”, lamenta o comerciante.

Ainda segundo ele, o comércio na praça do residencial Porto Sul agrega valor a região, trazendo uma boa movimentação e ajudando os comerciantes do bairro. “Sem a nossa presença aqui, o local vai ficar deserto e muito perigoso”, conta. “E o pior de tudo isso é receber essa notícia nesses tempos que estamos vivendo. A praça é sustento para muita gente de família”, diz.

Comerciante há 7 anos no local, Silvana Santos afirma que ficou surpresa com a decisão da Emsurb (Foto: enviada por internauta)

Comerciante há sete anos no local, Silvana Santos afirma que ficou surpresa com a decisão da Emsurb. “Eu tenho a autorização. Mas tem alguns pessoas que mesmo não tendo, trabalham honestamente tocando seu negócio”, afirma. Ainda segundo ela, a decisão da Emsurb a deixou muito receosa quanto ao futuro. “Eu tenho três filhos para criar. Estou há muito tempo no local. Não sei o que faria se eu perdesse meu ponto”, destaca.

Emsurb

Em comunicado, a Emsurb informou que o local onde ficam os comerciantes foi alvo de dezenas de denúncias dos moradores da região. “Eles reclamaram da grande incidência de aglomeração no local”, destacou o órgão. Ainda segundo a empresa, o comércio na região é irregular porque nenhum dos comerciantes têm autorização para comercializar na praça.

A Emsurb diz ainda que os comerciantes podem entrar em contato com a empresa através da Diretoria de Espaços Públicos e Abastecimento (Direpa) a fim de serem instruídos a irem comercializar em feiras regulares autorizadas pela Emsurb. 

por João Paulo Schneider e Verlane Estácio

Comentários