Emsurb retira restante de famílias da ponte do Detran

0

Caminhões levam pertences de famílias para suas casas
A Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), com a ajuda da guarda municipal e da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), retiraram na manhã de hoje algumas famílias que persistiam em “acampar” próximas à ponte do Detran.

Diferente do início desta semana, o número de pessoas no local era reduzido. Somente três famílias permaneciam e uma já estava com todos os pertences guardados na carroça de madeira para sair do local. Mesmo depois de muita conversa, uma flanelinha chamada Rosevânia Santana de Oliveira recusou a sair, ameaçando com uma garrafa de vidro os policiais e técnicos da Emsurb.

Policial e assistente social conversam com Rosevânia
Depois de conversar com a assistente social da Emsurb, Sônia Cristina Santos, ela aceitou voltar para casa e com seus pertences foi levada por um transporte da instituição para sua casa no Parque dos Faróis. “Infelizmente ela sempre persiste em retornar. Sabemos das dificuldades dessas pessoas, mas trazer crianças e ficar aqui é um grande risco”, ressalta Sônia.

A dona de casa Fátima Francisca dos Santos explica que não tem com quem deixar os filhos menores em casa e que as pessoas sabem que eles ficam naquele local todos os anos e levam suas doações. “As pessoas não vão na minha casa, na Terra Dura, levar uma cesta básica e brinquedos, por isso fico aqui. Os maiores vão para a escola e depois retornam e ficam aqui comigo. Os menores não pedem nos sinais e não correm riscos”, comenta ela, informando que irá retornar no próximo sábado.

Famílias arrumam as doações que ganharam
O coordenador do comércio informal e eventos da Emsurb, Daniel Assis, informa que tinha mais de 15 famílias no último final de semana no local. “O Ministério Público e o Juizado de Menores estiveram aqui ontem e avisou que se encontrassem crianças aqui hoje, elas seriam levadas para o Projeto Acolher e os pais encaminhados à Delegacia de Grupos Vulneráveis”, diz.

As famílias são de vários bairros periféricos de Aracaju e a grande maioria possui casas e retornam aos semáforos da cidade durante todo o ano para pedir. “Tiramos estas famílias daqui várias vezes e elas retornam. São as mesmas de sempre. Mas, nas festas de fim de ano aumenta significantemente o número de pessoas”, diz.

Esta ação tem o objetivo principal de retirar as crianças da situação de risco a que estão expostas. Representantes do Projeto Acolher, Conselho Tutelar, Juizado da Infância e Juventude, Ministério Público Estadual (MPE), Guarda Municipal e Polícia Militar fizeram uma visita à ponte na manhã de ontem, 20, para solicitar de forma pacífica a retirada das pessoas.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais