Engenheiro vê problema na estrutura da caixa d´água

0
Momento da inspeção em Dores: corrosão e ventos (Fotos: Ascom Seidh)

Em 30 dias, a Defesa Civil deve concluir o laudo técnico que identificará as causas do desmoronamento da caixa d´água no município de Nossa Senhora das Dores. No entanto, nas análises preliminares observa-se indícios de que o processo corrosivo e os ventos exerceram influência no acidente, que deixou um saldo de duas crianças mortas e 18 outras pessoas feridas.

O engenheiro José Roberto Oliveira, da Defesa Civil Estadual, diz que estas questões são prováveis fatores que influenciaram no acidente e revela que também foi “possível identificar que havia problemas entre a estrutura da coluna do reservatório e a base”.

Nesta quarta-feira, 8, técnicos da Defesa Civil estiveram reunidos com representantes do Conselho Regional de Engenharia (Crea) e da própria Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) para avaliar os procedimentos, que estão sendo adotados. A Deso se comprometeu em colaborar prestando os esclarecimentos necessários sobre os projetos inerentes à caixa d´água, segundo o coronel Alexandre Alves, coordenador da Defesa Civil do Estado. O coronel Alexandre Alves classificou como produtiva a reunião, informando que o encontro serviu para alinhar os entendimentos sobre as prováveis causas do acidente ocorrido na segunda-feira, 6, no povoado Campo Grande.

Reunião em Aracaju: laudo em 30 dias

O diretor de Meio Ambiente e Engenharia da Deso, Gabriel Campos, garantiu que a caixa d´água passou por inspeção há quatro anos e que este período, conforme frisou, estaria dentro do prazo estabelecido tecnicamente. "Depois disso, se instalou um processo acelerado de corrosão, que está sendo investigado para que se descubra o que levou a isso", considerou. O diretor informou que a Companhia de Saneamento está prestando apoio às famílias, juntamente com a prefeitura do município de Nossa Senhora das Dores. "Também já iniciamos o levantamento quantitativo para realizar a reconstrução da escola o mais breve possível. Além disso, estamos fazendo uma análise diagnóstica para, com o resultado da perícia, elaborar uma conclusão desse acidente".

O presidente em exercício do Crea, Tadeu Maciel, elogiou a iniciativa da Deso por contratar perito para aprofundar tecnicamente a investigação e colocou a entidade à disposição dos órgãos para contribuir com as investigações.

Por Cássia Santana, com informações da Ascom/Seidh

Comentários