Equipe técnica da Adema captura jararaca que invadiu residência

0
A serpente foi encaminhada a uma área de reserva no interior do estado (Foto: Adema)

A equipe de fauna da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) realizou a captura de uma jararaca-da-seca (Bothrops erythromelas) que invadiu uma residência do bairro Santa Maria na tarde da última quarta-feira, 25. A serpente, que está entre as que causam a maioria dos acidentes ofídicos no Brasil, tinha cerca de 70cm de comprimento e estava escondida em um balde.

O animal recebeu esse nome devido a sua grande incidência em regiões de Caatinga. Essa espécie, de acordo com o veterinário Daniel Allievi, é considerada peçonhenta, sendo bastante comum os registros de animais e pessoas que foram mordidos e, consequentemente, envenenados por elas. “As jararacas, de modo geral, são perigosas para os seres humanos e animais. Mas raramente são encontradas em áreas urbanas. Este caso consideramos raro, mas preocupante. Sobretudo porque fomos informados que um dos moradores manipulou a serpente. E, por se tratar de uma espécie inoculadora de veneno, essa atitude é extremamente perigosa”, alerta.

Allievi faz esse destaque porque, no Brasil, as picadas de jararaca somam aproximadamente 90% do total de acidentes com humanos envolvendo serpentes. “O veneno dessa espécie pode provocar lesões no local da picada, tais como hemorragia e necrose. E essas reações, em alguns caso, podem levar a amputações dos membros afetados. Por isso reforçamos que não se deve manipular animais silvestres, principalmente se forem peçonhentos”, pontua.

Após análise clínica, a serpente foi encaminhada a uma área de reserva no interior do estado.

fonte: Adema

Comentários