Estância: SSP garante que desarticulou quadrilhas

0
Armas, drogas, munição e documentos apreendidos (Fotos: Portal Infonet)

O delegado de polícia civil Andre David, regional de Estância, apresentou as armas e as drogas que foram apreendidas no final da semana passada durante operação especial articulada pela Secretaria de Estado da Segurança para cumprimento de mandados judiciais, que culminou com a morte de quatro suspeitos. Na manhã desta terça-feira, 3, o delegado apresentou as armas, drogas e documentos de veículos roubados apreendidos durante a operação resultante de três meses de investigações para combater o tráfico de drogas na região.

Segundo o delegado, além dos quatro mortos em supostos confrontos com os agentes da Polícia Civil, foram presas nove pessoas suspeitas de integrar duas quadrilhas rivais, que estariam envolvidas nos homicídios ocorridos especialmente no município de Estância. “O tráfico de drogas é muito pulverizado, mas estas duas eram as quadrilhas mais fortes e violentas existentes na região”, garantiu André David, na entrevista coletiva que concedeu nesta terça-feira, 3.

As duas quadrilhas rivais, segundo o delegado, eram lideradas por André Luiz Conceição Ferreira, que dava suporte financeiro e logística ao grupo de traficantes que agia sob o seu domínio na região e foi preso mediante mandado judicial, e Anderson de Souza Santana, conhecido como Pêu Tatuador, que comandava o grupo rival. Pêu Tatuador morreu no segundo suposto confronto com a polícia ocorrido na madrugada do sábado, 31, no bairro Matadouro, em uma rodovia que interliga os municípios de Estância e Boquim.

André David: "preservando inocentes"

Além de André, considerado o chefão de uma das organizações criminosas, também foram presos Jademilson Leite Vieira, Márcio Leite Vieira, Renan Vieira Teixeira, Diego Eduardo Brasil Nascimento, José Walisson Pereira Santos, Michel dos Santos Caetano, Fábio Silva Santos, Maria Selma dos Santos e também um adolescente, com 17 anos.

O delegado informou que a operação foi iniciada na quinta-feira da semana passada, 29, depois de três meses de investigações, com a abordagem a suspeitos que estavam em uma caminhonete nas proximidades do Fórum da cidade. Nesta abordagem, os policiais realizaram as primeiras apreensões. No veículo, estava uma das sete armas apreendidas durante toda a operação e também havia algumas pedras de crack.

Ao final, outras armas, munições, drogas e veículos roubados foram apreendidos em algumas residências do grupo. No total, foram apreendidas uma pistola ponto 40, de uso restrito das forças policiais, três revólveres de calibre 38, dois de calibre 32 e uma espingarda de calibre 12, além de dois veículos roubados.

No primeiro confronto, ocorrido na madrugada da sexta-feira, 30, na rua Bahia, em Estância, morreram Ismael Conceição Souza e o suposto comparsa Wallace Santos Ribeiro. E no outro, além de Pêu Tatuador, morreu Éverton de Jesus Lima. Segundo o delegado, aqueles que morreram, a exceção de Pêu que comandava uma das organizações, funcionavam como soldados, responsáveis pela cobrança de dívidas e prática de outros crimes, inclusive execução de rivais e de consumidores que contraíam dívidas com os supostos traficantes.

Segundo o delegado, todos tinham mandados judiciais em aberto por tráfico, homicídios, latrocínio, roubo e tentativa de homicídio. O delegado adverte que a suposta guerra entre as duas quadrilhas já tinha atingido vítimas inocentes. “Eles estavam se digladiando. No final de semana, para matar um, eles atiraram em três e, entre os três, um era inocente, não tinha nada a ver com o crime”, enfatizou o delegado.

Por Cássia Santana

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais