Explosão: familia de vítima vai processar a Fafen

0

A família pede que a empresa se responsabilize pela morte do petroleiro
Até a próxima sexta-feira, 7 a família do petroleiro José Almir de Lima, 48 anos, que veio a óbito no último dia 31 de dezembro, após ser vítima de uma explosão na área de produção de amônia da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FAFEN), deverá ingressar com uma ação na Justiça contra a empresa.

De acordo com José Adilson Lima, irmão do petroleiro, já está providenciando a documentação necessária solicitada pelo doutor Carlos Alberto, advogado da família, para dar entrada no processo judicial. “Queremos que a empresa se responsabilize pela morte do meu irmão, porque a empresa só visa o lucro e não está preocupada com o funcionário. A ação serve de alerta para que a empresa seja responsabilizada pelos atos e para que outros funcionários não sejam vítimas”, desabafa o funcionário público.

Sindicato

Segundo um dos diretores do Sindipetro, Gildo Pereira, o sindicato vai se reunir com funcionários da empresa na tarde desta quarta-feira, 5, na Fafen com o objetivo de elaborar um documento contendo as reivindicações de melhorias apontadas pelos funcionários para que seja entregue ao gerente geral da empresa.

Ainda segundo Gildo Pereira, a categoria continuará realizando atos para cobrar melhores condições de trabalho para os funcionários e a categoria. “A partir da próxima semana, devemos começar a fazer novos protestos no Tecarmo, Carmópolis, na sede da Petrobras no Siqueira Campos, e os atos deverão contar com faixas e panfletos”, diz o diretor.

Missa de Sétimo dia

A Missa de Sétimo Dia do petroleiro José Almir de Lima, será realizado nesta quarta-feira, 5, às 19h30, na Igreja da Sagrada Família, no Conjunto Sol Nascente.

Relembre o caso

José Almir de Lima teve queimaduras de segundo e terceiro grau na explosão realizada no dia 28 de dezembro, mas após dois dias internado na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), não resistiu às queimaduras e veio a óbito na última quinta-feira dia 31 de dezembro.

Já o prestador de serviço e funcionário da Engemar, Felipe Vasconcelos, que também se feriu no acidente e que teve fratura no tornozelo, afundamento de vertebras e três costelas quebradas, passou por uma cirurgia na última terça-feira,3, para a implantação de pinos na vertebras e segundo informações de familiares já passa bem e ainda deverá realizar uma segunda cirurgia no calcanhar.

 

 

 


 

Comentários