Famíliares de garoto agredido com faca não registram BO

0
O garoto foi socorrido pela mãe e levado ao HUSE (Foto: Arquivo Portal Infonet)

Familiares do adolescente de 13 anos de idade, com deficiência auditiva, que foi agredido na porta de um estabelecimento na Avenida Euclides Figueiredo na tarde de ontem, 3, com um golpe de faca na cabeça, ainda não prestaram queixa numa delegacia.

"A polícia só pode dar início as investigações com os relatos dos familiares, inclusive pede que eles se dirijam até uma delegacia para registrarem o Boletim de Ocorrência [BO]", informou a assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE).

A orientação da SSP/SE é que os familiares do garoto registrem do BO no Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), delegacia que vai ficar responsável pela apuração do crime, já que se trata de agressão a um menor de idade.

A Ascom da SSP/SE chegou a checar nas delegacias plantonistas de Aracaju, inclusive na 3ª Delegacia Metropolitana (3ª DM), que é responsável pelos atendimentos de ocorrências na região da Avenida Euclides Figueiredo, mas foi informada que realmente não houve registro do crime pelos familiares do garoto.

O fato

O golpe de faca, que provocou um ferimento na cabeça do adolescente, teria sido aplicado por um homem ainda não identificado. Ele acusou o garoto de arranhar seu carro e, irritado com a situação, armou-se com uma faca e partiu para agredir a vítima, conforme informações do sargento Kleber Evangelista, que compõe a equipe da 4ª Companhia do 8º Batalhão da Polícia Militar.

O dono do carro tentou praticar novas agressões, mas foi contido por um grupo de pessoas que assistiu ao episódio, pegou e foi embora. A mãe do adolescente, que foi até o local quando soube da ocorrência foi quem prestou socorro ao filho, levando-o ao Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE).

Por Moema Lopes

Comentários