Familiares de jovem morto na Plantonista fazem protesto

0
Manifestantes queimaram pneus na avenida Pedro Calazans (Foto: Portal Infonet)

Amigos e familiares de Murilo Tadeu Caldas Fontes queimaram pneus e fecharam a Avenida Pedro Calazans no início da noite desta segunda-feira, 7, em protesto à morte do jovem, que segundo eles, foi ocasionada por espancamento. O fato ocorreu na Delegacia Plantonista no último domingo, 6, e a versão divulgada inicialmente apontava uma overdose como causa do falecimento.

Os manifestantes, que não quiseram se identificar, acusam a polícia de ter espancado o jovem até a morte. “Ele era um trabalhador e um pai de família. Foi levado para a Delegacia Plantonista sem nenhum motivo e lá foi espancado até a morte”, denuncia um dos amigos.

Outro manifestante relata que as marcas do espancamento foram percebidas durante a preparação do velório. “Ele residia na Piabeta e foi levado para delegacia no domingo, pro volta de 1h30 da manhã. Quando fomos colocá-lo no caixão, percebemos o quanto ele apanhou. Ele estava com a costela quebrada, marcas de socos e todo inchado”, diz o outro manifestante.

Outra versão

Segundo a versão dada pela Polícia Militar, Murilo já chegou à delegacia passando mal. “Ele foi abordado com mais dois homens e com eles foram encontradas oito cápsulas de cocaína. Um dos homens informaram que Murilo consumiu a droga antes da apreensão”, destaca Théo Moreno, assessor de comunicação da Delegacia Plantonista. “Por enquanto a causa da morte é desconhecida. O Instituto Médico Legal irá apurar a causa da morte”, finaliza o assessor.

Por Geilson Gomes e Verlane Estácio

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais