Famílias estão acampadas na rua

0

Na rua foram montados barracos (Fotos: Portal Infonet)

Na noite desta quarta-feira, 24, alguns moradores da invasão do Quirino, localizada no bairro Santa Maria, por pouco não entraram em conflito com alguns guardas municipais que estão no local desde a noite da última terça-feira, 23, no bairro Novo. O motivo do princípio da confusão, seria uma fogueira que foi acessa pelos moradores. Guardas municipais orientaram a população a não colocar pneus. 

Após invadir as casas do bairro Novo, que ainda não foram entregues as famílias cadastradas, cerca de 100 famílias da invasão resolveram montar uma série de manifestações para pressionar o poder público a resolver o problema da falta de moradia.

Com um olhar de tristeza, a catadora de lixo, Maria Vera Lúcia, conta que mora na invasão há quatro anos e que diariamente enfrenta uma difícil rotina de conviver com ratos, cobras e doenças. “Meu marido esta internado há nove dias com suspeita de dengue, não temos para onde

Moradores pedem ajuda ao poder público
ir, estou aqui porque preciso”, lamenta a mulher de 44 anos.

Um drama também vivenciado pela dona de casa Lindinalva Correia de Oliveira que não cansa de frisar que não tem para onde ir. “Na última chuva forte que caiu na cidade, muitas famílias foram obrigadas a buscar abrigo na casa de parentes, mas quando passou a chuva todo mundo voltou porque nenhum parente aceita dentro da casa uma mulher com quatro filhos e mais um marido”, observa.

Com panelas, cobertores, garrafas térmicas e faixas, os moradores do Quirino pedem para que todos sejam beneficiados com os programas do governo.

“Tivemos uma reunião com o secretário Bosco, mas ele disse que só podia fazer algo por 40

Guardas Municipais orientaram os moradores a não queimar pneus
famílias, mas estamos em quase 100. Não vamos aceitar que alguns sejam beneficiados e outros não”, diz o pedreiro Adagildo de Jesus Souza.

Prefeitura

Durante reunião realizada na manhã desta quarta-feira, 24, com o secretário de gabinete Bosco Rolemberg e da assistência social, Rosária Rabelo, ficou determinado que será entregue, por parte dos moradores, uma lista inicial das 36 famílias que invadiram a área em 2007.

Segundo a assessoria de comunicação da prefeitura, o secretário Bosco Rolemberg salientou que essas famílias serão inicialmente contempladas com auxílio-moradia.

Por Kátia Susanna

Comentários