Famílias se desesperam com derrubada de casas no Inácio

0

Casas demolidas na cabeceira da ponte Gilberto Vilanova (Fotos: Portal Infonet)

Moradores que residem próxima a cabeceira da Ponte Gilberto Vilanova que liga o bairro Inácio Barbosa ao conjunto Augusto Franco estão apreensivos com a derrubada das residências.

Das oito residências situadas na cabeceira da ponte, sete foram demolidas e apenas uma continua para ser derrubada. A ordem de derrubada foi concedida pela Empresa Municipal de Urbanização (Emurb). No local, é possível perceber tijolos, muito entulho e uma retroescavadeira utilizada na derrubada das residências.

A Emurb alega que as residências haviam sido desapropriadas para a construção da ponte Gilberto Vilanova e que na oportunidade, os moradores foram indenizados. Ainda de acordo com a Emurb, as construções foram novamente erguidas por outros moradores que ocuparam área irregularmente.

Uma das residências demolidas foi a de dona Linalva Dias Menezes. “Eu morava com o meu filho e nós estávamos trabalhando quando me ligaram dizendo que minha casa estava sendo derrubada, mas não deu tempo chegar. A metade das coisas havia sido quebrada”, lamenta a moradora.

Glackson Manoel (blusa amarela) se desespera ao falar com represente da Emurb

Na manhã desta terça-feira, 18, representantes da Emurb estiveram na localidade para dar a ordem de derrubada da única residência que não foi destruída. Uma equipe da Guarda Municipal também foi acionada para manter a ordem no local.

A única residência intacta é do encanador Glackson Manoel Felix Santana, que se disse apreensivo e inconformado com a decisão de desocupar do imóvel. “Estou aqui há um ano e moro com mais cinco pessoas. Não houve nenhuma notificação pedindo para que a gente saísse do local. Muitas casas foram derrubadas ainda ontem e a minha só não foi ao chão porque o trator quebrou. Eu investir as minhas economias aqui e agora vou ter que ir para a rua”, conta insatisfeito o encanador.

Emurb

Após uma conversa com o morador Glackson Manoel, o coordenador de Controle Urbano da Emurb, Valdson Melo, informou que foi concedido um prazo até dia 20 para que o morador desocupe o imóvel.

Casas demolidas

Valdson Melo da Emurb informa que foi dado um prazo até dia 20 para a desocupação da casa

Ainda segundo ele, a área onde se localiza as casas é de preservação ambiental e vai servir como área de manutenção da ponte.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais