Funcionário da Vale do Rio Doce é executado em Aracaju

0

Duplo homicídio chocou os moradores da Ponta da Asa (Fotos: Kátia Susanna/Portal Infonet)

Na tarde desta quarta-feira, 13, um duplo homicídio na Ponta da Asa, no Japãozinho, em Aracaju, deixou moradores chocados com a ousadia dos bandidos. O fato foi registrado nas proximidades da avenida Euclides Figueiredo em uma rua bastante movimentada. Populares chocados evitaram falar oficialmente com a polícia e a imprensa, mas confessaram que dois homens em uma moto cometeram o crime bárbaro.

As vítimas, um homem identificado como Carlos Marcelo da Silva, de 50 anos, que segundo a polícia é funcionário da Vale do Rio Doce, morreu com vários tiros. Carlos Marcelo ainda estava com o cinto de segurança no banco do motorista e morreu provavelmente sem tentar se defender. O carro, modelo Cross Fox placa IAC 3638 pertence a vítima.

Os tiros atingiram o tórax e a cabeça. Uma das balas perfurou as costas.

A vítima foi alvejada a queima roupa dentro do veículo

A outra vítima, um homem de aproximadamente 30 anos, foi atingido com mais de dez tiros na cabeça, no rosto e nas costas. A suspeita da polícia é que os tiros tenham partido de duas armas, provavelmente revólveres 38.

A polícia não encontrou cápsulas, mas projéteis foram recolhidos para perícia. Um telefone celular também foi encontrado junto ao corpo da vítima de provavelmente 30 anos.

Suspeita

Mesmo em férias, o capitão Rivaldo Santos, comandante do Grupamento Tático de Motos da Polícia Militar (Getam) estava na cena do duplo homicídio e ligou para a família do funcionário da Vale do Rio Doce.

Os parentes contaram que Carlos saiu do município sergipano de Umbaúba, distante 102 quilômetros da capital com destino a Aracaju para cobrar uma dívida no valor de R$ 16 mil. Familiares disseram que Carlos vendeu uma casa, localizada no Marcos Freire e estava enfrentando dificuldades para receber o pagamento. No entanto, a polícia desconhece o motivo que atraiu Carlos a Ponta da Asa.

A informação é que Carlos estava separado da esposa, que reside no conjunto Bugio. Após a separação ele passou a morar com a mãe no interior sergipano.

DHPP

O delegado do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), André Gouveia, investigará o crime. O delegado pede a ajuda da população por meio do dique-denúncia 181.

Por Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais