Funcionários dos Correios em SE entram em greve a partir desta quarta

0
Assembleia ocorreu nesta terça-feira, 10 (Foto: Sintect)

Os trabalhadores dos Correios em Sergipe decidiram nesta em assembleia nesta terça-feira, 10, que vão entrar em greve por tempo indeterminado a partir de 0h desta quarta-feira, 11. A categoria reivindica reajuste salarial e luta contra a privatização da empresa.

De acordo com Jean Marcel, o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Sergipe (Sintect), a negociação com os Correios dura mais de dois meses. “Eles simplesmente fecharam as portas. Colocaram sobre a mesa uma proposta ridícula de 0,8% atrelada à retirada de diversos direitos do acordo coletivo. Nós rejeitamos e eles não apresentaram outra proposta. Inclusive, o ministro do TST que fez a mediação propôs a prorrogação do último acordo coletivo, nós aprovamos, mas a empresa declinou”, conta.

Amanhã, a partir das 8h, a categoria vai se concentrar em frente a sede dos Correios na Rua Acre com objetivo de mobilizar os demais trabalhadores para adesão à greve. “Vamos buscar conscientizar a categoria da importância de participar da greve e, consequentemente, de convencer o TST para julgar para ocorrer o dissídio e assinatura do acordo coletivo, para que possamos nos concentrar na luta maior que é contra a privatização dos Correios”, Jean Marcel.

Correios

A assessoria dos Correios enviou uma nota ao Portal Infonet. Segue: “Os Correios participaram de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores, quando foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado da ordem de R$ 3 bilhões. As federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso na empresa. No momento, o principal compromisso da direção dos Correios é assegurar a sustentabilidade da empresa. Por isso, a estatal conta com os empregados no trabalho de recuperação financeira e no atendimento à população”.

por Verlane Estácio

*A matéria foi alterada às 09h03 do dia 11/09 para acréscimo de nota dos Correios
Comentários