Fundação Renascer solicita permanência de agentes

0

(Foto: Arquivo Portal Infonet)

A Fundação Renascer já foi notificada da decisão judicial visando o afastamento de agentes de medidas socioeducativas do Centro de Atendimento ao Menor (Cenam) e da Unidade Socioeducativa de Internação Provisória (Usip). São 25 agentes acusados pelo Ministério Público, de torturar internos. Mas, a Fundação já se manifestou junto à 6ª Vara Criminal visando a permanência dos servidores, por conta da redução do efetivo e da segurança dos internos.

O assessor jurídico da Fundação Renascer, Luis Alberto Melo, informou que a direção convocou o Departamento Jurídico para que tentasse uma melhor saída para os agentes, principalmente por conta do número reduzido. Atualmente são 114 agentes.

“Nós já nos manifestamos junto à 6ª Vara Criminal, solicitando um pedido de reconsideração em prol da permanência dos agentes, até pelo não comprometimento do efetivo. O afastamento de 25 agentes em média será altamente prejudicial à segurança dos internos”, entende.

Luis Alberto esclareceu que a denúncia não partiu da Fundação Renascer. “A denúncia é do Ministério Público. Dentro do prazo, nós solicitamos a permanência dos servidores, mas caso sejam mesmo afastados pela Justiça para apuração, nós entendemos que ordem judicial não se discute, se cumpre. Mas em nome da direção da Fundação Renascer, estamos tentando uma melhor saída para os agentes, para as famílias e para os internos”, explica acrescentando ter atualmente 38 internos no Cenam e 90 na Usip.

Por Aldaci de Souza

Comentários