Governo adota medidas para conter depredação do hidroviário

0

Providências para conter depredação começam a ser tomadas

O antigo terminal hidroviário Jackson de Figueiredo, localizado no Centro de Aracaju, continua em total abandono. Na manhã de hoje, 8, homens trabalhavam para colocar um tapume na frente do prédio para impedir o avanço da depredação. Com a desativação das lanchas, que faziam o transporte entre Aracaju, Barra dos Coqueiros e Atalaia Nova, o local ficou inutilizado.

O prédio pertence ao Governo do Estado e foi cedido à empresa H.Dantas, responsável pela administração do local até o final do ano passado. No entanto, o imóvel ainda não foi devolvido ao Estado.

 
Antes e …
 
… depois. Vândalos levaram cadeiras, janelas, portas, tudo o que encontraram pela frente

A fim de que seja tomada uma providência urgente quanto à situação do antigo hidroviário, o Ministério Público, através do promotor Eduardo Seabra, enviou ofício ao Secretário de Estado dos Transportes, Bosco Mendonça. “Nós estamos responsabilizando o Governo, porque eles não receberam o hidroviário da H.Dantas e também não tomaram providências. A H.Dantas tem um dinheiro a receber do Estado e nós sugerimos que seja descontado desse dinheiro o valor para consertar o que foi destruído”, explicou o promotor. 

Caso a situação não seja resolvida o mais breve possível o MP entrará com ação contra o Governo. “Quem tem que tomar conta dos seus bens é o Estado embora esteja entregue à H.Dantas, mas a responsabilidade é do Estado”. 

Para o secretário Bosco Mendonça,“se você aluga uma casa e de uma hora pra outra o inquilino vai embora, não devolve ao dono e o imóvel é depredado, de quem é a responsabilidade pelas reforma? É o inquilino!”, exemplifica. No entanto, ele afirma que o Governo já esta tomando as providências para recuperar o local e que as despesas serão descontadas do valor que a H. Dantas tem a receber do Estado, como sugeriu o promotor. “O Estado não vai ter prejuízo nenhum com isso”, garante. 

Dentre as medidas que o Governo está tomando está a colocação de tapumes para isolar a área prédio, fazer um levantamento através da Dehop do que precisa ser reformado e elaborar um projeto básico de recuperação e adequação para o funcionamento de uma base da Polícia Militar no local.

Por Carla Sousa

 

Comentários