Governo e UFS entregam alimentos e realizam testagem em Pirambu

0

Em Força Tarefa, Governo e UFS entregam alimentos e realizam testagem na comunidade do Alagamar (Fotos: Fernando Augusto)

No município de Pirambu, a comunidade quilombola do Alagamar recebeu, nesta sexta-feira (09), a equipe da ‘Força Tarefa Covid-19’, com a realização de testagem para diagnóstico de Covid-19, aferição de pressão e testes de glicemia pela Universidade Federal de Sergipe (UFS); e a entrega de kits de alimentos, máscaras e álcool a 70% pela Secretaria de Estado da Inclusão Social (Seias). As entregas são fruto da Campanha Solidarize-SE, realizada pelo Governo de Sergipe em parceria com parte do empresariado sergipano. Até o presente momento, a campanha já realizou a entrega e 3.390 kits de alimentos, combatendo a insegurança alimentar entre as famílias de populações vulneráveis. Após as comunidades tradicionais, as entregas continuarão entre comunidades ribeirinhas, mulheres camponesas, movimentos sociais e povos de terreiros.

Nos últimos dois meses, Campanha Solidarize-SE entregou 3.390 kits de alimentos a populações vulneráveis

Junto à Força Tarefa Covid-19, a SEIAS vem atuando nos últimos dois meses, encerrando as atividades da semana na comunidade do Alagamar, segundo conta Sivaldo Gomes, representante da diretoria de Inclusão e Direitos Humanos da Seias. “Nós temos uma série de procedimentos de segurança, higienizamos tudo e fazemos os testes antes da entrega. Os kits são entregues a famílias de comunidades tradicionais em situação de vulnerabilidade, como quilombolas, indígenas, ciganas, etc. Foram dois meses de atuação conjunta, e encerramos aqui no projeto Alagamar em Pirambu, onde entregamos 100 kits e, através dessa importante parceria com a UFS, fizemos testes em crianças e adultos”, revela.

Lenilde Martins Santos, 51, foi uma das beneficiárias da entrega dos kits. Ela conta que mora no povoado Alagamar desde que nasceu e que a entrega dos alimentos veio em momento oportuno. “É muito importante a gente receber o kit e também fazer o exame, ajuda em muita coisa em casa, na alimentação e tudo mais. Importante demais, é uma ajuda que chegou em boa hora”. Mãe de oito filhos, a aposentada Maria Helena dos Santos, de 70 anos, relata a dificuldade que ela e sua família enfrentam para se alimentar. “Esse kit contribui e muito, e vou comer tudo, porque eu não tenho nada. Dos meus oito filhos, três vivem em casa. E eu estou precisando demais, porque eu tenho muita fome. Então esse kit vai fazer a gente poder se alimentar melhor. Graças a Deus chegou essa ajuda”, disse Maria Helena.

Leonardo Lima dos Santos, mora há 3 anos no povoado, mas sua família lá reside há mais de 30. Ele, que trabalha como agricultor, conta que antes da pandemia era encanador, e está sem emprego desde então. “Esse kit é uma ajuda grande, porque tem muita gente precisando, inclusive eu, que moro com minha esposa e meus dois filhos. Nesse período de pandemia, o mais difícil pra gente é adquirir alimento, porque está tudo aumentando, preços subindo. Por isso, pra gente, esses alimentos são de grande ajuda. Os exames também foram muito bons, porque tinha muita gente com dúvida, com medo, e foi bom fazer, comigo mesmo, tá tudo ok, graças a Deus”, revela.

A artesã Rita de Cássia dos Santos, mora no povoado há mais de 40 anos. “A minha renda vem do artesanato com a palha, que eu vendo em Aracaju, mas com a pandemia caíram as vendas. Esse kit veio numa boa hora, ainda mais pra mim, que não tenho marido, estou desempregada, só vivo da palha, então esses alimentos são muito importantes, me ajudaram demais”, comentou. Também artesã, Mônica do Nascimento, 27 anos, mora desde que nasceu em Alagamar e conta que ficou aliviada com o negativo do teste. “Fazer o teste ajudou a passar o medo, porque nós temos muito medo dessa doença nova, que a gente mal conhece. E os alimentos ajudam demais, principalmente a quem está desempregado. Eu moro com meu marido e dois filhos, sou artesã e meu marido é pedreiro, então toda ajuda pra nós é muito importante”, concluiu.

Solidarize-SE

Idealizada pela Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (SEIAS) e articulada pela Vice-Governadoria do Estado (VGE), a campanha Solidarize-SE incentiva a população a se somar às iniciativas solidárias e ações de assistência às famílias vulneráveis desenvolvidas durante a pandemia de Covid-19, seja pelo poder público municipal e estadual ou pela sociedade civil, através da doação direta de alimentos, recursos e itens de limpeza. A pessoa física ou jurídica que desejar e puder auxiliar poderá obter as informações necessárias através do site www.inclusao.se.gov.br/solidarize-se. Basta acessar o mapa de Sergipe disponível na página eletrônica, e clicar sobre o município sobre o qual deseja conhecer as formas de contribuir.

Segundo a secretária de Estado da Inclusão Social, Lêda Lucia Couto, além de 72.198 kg de alimentos, R$ 25 mil reais em recursos foram recebidos pela SEIAS, através da campanha. “Eles permitirão a aquisição de 310 kits de higiene e limpeza que serão entregues a todos os 39 abrigos municipais para crianças e adolescentes do estado, e para nove abrigos de idosos que não contam com auxílio de outras instituições. Em nome de todas as populações vulneráveis atendidas, nós agradecemos a todos os parceiros que tornaram possível essa campanha acontecer. Além da UFS, VGE e Secretaria de Estado da Saúde – SES, que também nos deu álcool a 70% para doação, agradecemos ao Sindicato dos Atacadistas, ao Grupo Maratá, à Fasouto, à Nota 10 e ao Megga Atacadista. Também somos gratos à Codise e ao Instituto Banese pelas máscaras de tecido para distribuição”, concluiu.

Fonte: Seit/Seagri

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais