Governo investe quase R$ 1 milhão em capacitação no uso do agrotóxico

0
Em assinatura de ordem de serviço, Governo, através da Semarh, confirma o investimento do Programa Águas de Sergipe (Foto: Lucas Noronha/ Semarh)

O secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Olivier Chagas, assinou, na manhã desta sexta-feira, 10, a ordem de serviço que visa o treinamento e capacitação para o uso adequado dos agrotóxicos. Ao todo, serão aplicados R$ 985.548,88, através do Programa Águas de Sergipe.

“É necessário ter a consciência que o uso indevido dos agrotóxicos pode fazer mal à saúde, faz mal para a sociedade. Essa é a maneira que o Governo do Estado está trabalhando, com o objetivo de ser o mais parceiro possível do homem do campo. Essa é uma maneira especial de cuidar das pessoas”, explicou o secretário.

Para que o projeto se concretize, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) trabalhará em parceria com diversas instituições, como a Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe (Cohidro); a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro); além das secretarias estaduais e municipais de educação e saúde.

“Nós fomos contratados pelo Programa Águas de Sergipe para realizar a capacitação dos produtores rurais e das instituições públicas que atuam na bacia do rio Sergipe. Essa capacitação visa trabalhar o uso adequado dos agrotóxicos. Todo esse treinamento está associado a um objetivo maior do governo de Sergipe que é melhorar a disponibilidade de água no estado, não só em quantidade, mas em qualidade”, explicou Aguimar Ferreira, diretor de operações da STCP – Consultoria, Engenharia e Gerenciamento, empresa contratada para a execução da ação.

As ações devem ser executadas por no máximo nove meses. Estarão diretamente atendidos os 26 municípios que compõem a bacia hidrográfica do rio Sergipe. A Cohidro terá como foco treinar os irrigantes por ela assistidos. Do mesmo modo, a Emdagro treinará os pequenos agricultores para a maneira correta de utilizar e descartar as embalagens.

“A Cohidro é coexecutora das ações de capacitação do uso de agrotóxicos dentro da nossa área de ação, que são os perímetros irrigados. Uma área que sabemos que tem problemas, afinal trata-se de região de agricultura intensiva, e sabemos que existem alguns abusos, algumas correções a serem feitas no uso de agrotóxicos”, elucidou João Quintiliano, diretor de Irrigação de Desenvolvimento Agrícola da Cohidro.

Jefferson Feitoza, presidente da Emdagro, alertou para os altos índices do uso de agrotóxicos no Brasil. “Esse é um projeto de suma importância, principalmente no momento em que nós estamos, no qual o Brasil é o maior usuário de agrotóxicos do mundo e de forma indiscriminada. Nós da Emdagro já estamos trabalhando nisso há algum tempo e esse projeto veio para nos apoiar”, comemorou.

Os secretários municipais de educação também serão capacitados. Além disso, professores das redes estadual e municipal também serão treinados, haja visto que terão a função de repassar as informações aos seus alunos. Também faz parte do treinamento, o incentivo para que não se compre nenhum tipo agrotóxico de maneira ilegal ou que seja utilizado de maneira incorreta.

“A Secretaria de Educação é o órgão responsável pela educação ambiental formal. Por esse motivo, estamos presentes nesse projeto. Temos uma grande capilaridade de diretorias regionais em todo o estado e nossos alunos estão em grande parte no campo. Então levaremos a questão dos agrotóxicos para as escolas, a fim de conscientizá-los”, esclareceu Miguel Nascimento, técnico em Educação Ambiental da Secretaria de Estado da Educação.

A secretária de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), Rose Rodrigues, afirmou que o ato tem uma importância mundial. “Lançar um programa como esse significa impactar em várias áreas: saúde, meio ambiente, educação e agricultura, por exemplo. O mundo clama por isso e o Brasil, em especial, não pode continuar com o título de ser o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Hoje, Sergipe manda um recado para o mundo”, enfatizou.

Outra preocupação da ação é sobre a forma correta de utilizar o veneno aplicado no fumacê para o combate ao mosquito Aedes aegypti. Serão treinados, neste caso, agentes de endemias dos 75 municípios sergipanos, que terão o suporte de suas secretarias municipais e da Secretaria de Estado da Saúde.

O deputado federal João Daniel é membro da Frente Parlamentar em Defesa do Meio Ambiente e reforçou a importância do trabalho realizado pela Semarh. “É fundamental que haja esse trabalho da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e que a população possa ter compreensão e conhecimento sobre isso”, comentou.

Águas de Sergipe

O programa resulta de contrato firmado entre o governo de Sergipe e o Banco Mundial no valor de US$ 117.125.000, sendo US$ 46.850.000 a contrapartida do Estado. A ideia principal é melhorar a qualidade da água da Bacia Hidrográfica do Rio Sergipe. Somente na primeira etapa do projeto de esgotamento sanitário em Itabaiana, que compõe o programa, já foram investidos R$ 23,5 milhões.

“O Programa Águas de Sergipe abrange mais de 80 ações, boa parte delas já encerradas. Essa ação, especificamente, tem uma importância fundamental pela possibilidade que ela oferece de orientar as pessoas sobre a melhor forma de se utilizar de um produto tão contestado como é o agrotóxico. Será uma capacitação maciça de agentes que poderão multiplicar isso para o futuro. A previsão é que essa ação permita que em alguns anos tenhamos menores riscos na utilização desses produtos”, explicou o coordenador da Unidade de Administração do programa Águas de Sergipe (Uapas), Everton Teixeira.

Fonte: Semarh

 

Comentários