Greve de petroleiros continua em Carmópolis

0

Presidente do Sindipetro, “Toeta” cobra posicionamento da Petrobras (Foto: Arquivo Infonet)
Os petroleiros terceirizados das empresas Grow e Qualitex são exemplos de resistência e luta em defesa de seus direitos. Os trabalhadores da Grow estão em greve desde a semana passada e os da Qualitex iniciaram o movimento grevista na segunda-feira, 27.

No caso da Grow, a empresa vem atrasando o salário dos trabalhadores desde setembro. O pagamento salarial tem sido efetuado muitos dias depois da data legal, ou seja, o quinto dia útil de cada mês. Até o momento não foi efetuado o pagamento do 13º salário dos trabalhadores do setor de construção e montagem.

A empresa está envolvida no escândalo de corrupção que foi noticiado na imprensa sergipana por superfaturamento do contrato. Por causa disso, está devolvendo mensalmente em torno de R$ 300 mil à Petrobrás. No meio desse processo, dois trabalhadores da Petrobrás foram demitidos, um engenheiro e um técnico. O gerente de contrato, o gerente do setor e o gerente geral estão isentos até o momento, mesmo sendo os que autorizam o pagamento das faturas, ou seja, a efetivação dos contratos.

Agora, a Grow está no final do contrato, justamente o contrato envolvido no escândalo de corrupção. Se durante o contrato a empresa vem atrasando os salários, o calote nas verbas rescisórias pode ser o próximo passo.

O Sindipetro AL/SE chama a responsabilidade o gerente e fiscal do contrato. “Não podemos aceitar que empresa como essa faça tudo isso e continue operando nas áreas da Petrobrás. Foi o escândalo de corrupção com o superfaturamento do contrato e agora é ataque aos direitos dos trabalhadores. A postura da gerência e fiscalização de contrato tem que ser outra, tem que ser mais atuante, infelizmente, não é isso que está acontecendo”, disse “Toeta”, diretor do Sindipetro AL/SE.

Qualitex: unidade na luta

Na manhã da segunda-feira, 27, os petroleiros das Qualitex também entraram em greve. “A greve dos trabalhadores da Grow incentivou os petroleiros da Qualitex a entrarem na luta também. Queremos que os trabalhadores das outras empresas sigam o mesmo caminho”, falou Toeta.

Os trabalhadores das Qualitex exigem a representatividade sindical junto ao Sindipetro AL/SE e a assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho. Os trabalhadores estão há dois anos sem acordo coletivo, sem contar os problemas como salários, alimentação e transporte. A empresa está iniciando um novo contrato e os trabalhadores entenderam que a hora da mobilização era agora, ou caso contrário, serão mais dois anos sem acordo coletivo assinado.

Seguir em frente

Até o momento as reivindicações dos trabalhadores não foram atendidas. Segundo Toeta, a greve segue até a pauta ser atendida. “Passamos o natal em greve com os trabalhadores da Grow. Vamos começar 2011 em greve. Chega de ataques aos trabalhadores terceirizados. Não arredaremos o pé. A greve segue firme e forte”, afirmou o diretor sindical.

Fonte: Sindipetro

Comentários