Grupo Samam investe 50 milhões em usina

0

Conversar com o empresário Henrique Brandão Menezes, principal executivo do grupo Samam, um dos maiores de Sergipe, é receber uma injeção de otimismo. O homem não pára, está sempre pensando em coisa nova, em investimento que gere empregos, “porque o grande problema brasileiro é o emprego.
Sem emprego não há cidadania”.

Não é à toa que o grupo Samam está investindo agora 50 milhões de reais numa destilaria que pretende produzir, a partir de setembro de 2008, dois milhões de litros de álcool. E haverá cana para tanta produção? “A Agro-Indústria Capela vai produzir 300 mil toneladas de cana”. O grupo investe também na plantação da cana. Para tanto, o grupo vendeu sua fazenda de gado, com 3 mil cabeças, e está tudo plantado de cana. “As terras de Taquari à Vassouras, na região central do Estado, vai produzir cana suficiente para nossa destilaria, oferecendo 500 empregos diretos, numa área entre Capela e Siriri. Serão homens plantando, limpando o terreno e colhendo a cana o ano inteiro”, diz o entusiasmado Henrique.

Equipamentos

O maquinário desta nova Usina já está a caminho: “A partir do mês de maio começa a sua montagem. A produção de álcool combustível começa propriamente em setembro de 2008”, diz ele, que tem incentivado o Governo do Estado a achar investidores que queiram instalar novas indústrias no Sul do Estado (“aquela área de Estância, já chegou a ter 36 usinas de açúcar, portanto tem potencial para uma grande usina ali”) e, mais ao norte, na área de Canindé (“há água de sobra na região, e terras também; isso geraria uma boa quantidade de empregos”). Entre os vários negócios da Samam, um dá orgulho a Henrique Brandão Menezes.

É a plantação de coco verde, no Platô de Neopolis. A fazenda produz 800 mil cocos ao mês, toda a produção exportada para estados vizinhos e até para o sul do país.

Por Ivan Valença

Comentários